Inscreva-se

Menu

O que é Trindade? Como explicar a Trindade?

Nota do editor

A ideia da Trindade resiste? Muitas pessoas acreditam que Deus é triúno, enquanto outros creem que Ele é o único e verdadeiro Deus. Que tipo de pensamento é defensável? Neste artigo, discutiremos essa questão e revelaremos a resposta a você.

Certa manhã bem cedo, os pássaros estavam piando do lado de fora da janela. Como sempre, me levantei e comecei a praticar minha devoção espiritual. Conforme lia as palavras do Senhor: “O primeiro é: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de todas as tuas forças” (Marcos 12: 29-30), não pude deixar de lembrar que, durante as reuniões, os pastores e presbíteros com frequência nos diziam que Deus é triúno. E eles também citavam as palavras do Senhor Jesus: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mateus 28:19), dizendo que o Deus Jeová é o Pai Santo, Jesus é o Filho Santo e que ainda há o Espírito Santo, e que quando as três pessoas são combinadas em uma, Eles se tornam o único e verdadeiro Deus. Então pensei: o Senhor Jesus disse que Deus é o único. Como há somente um Deus, como Ele tem três pessoas? No versículo, o Senhor Jesus apenas disse: “… batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;” Ele não disse que Deus é uma Trindade. Então, do que se trata a ideia da Trindade? Fiquei realmente confusa com isso.

O que é Trindade? Como explicar a Trindade?

Mais tarde, a irmã Li me veio à mente. Pensei: “ela acaba de participar de um programa de treinamento em outro lugar, e além disso, tem sido pregadora por anos. Talvez ela possa solucionar minha confusão”. Assim, fui à casa da irmã Li. Ali acabei encontrando sua amiga, Zhang Mo, que também era uma pregadora. Depois, eu lhes contei sobre minha confusão quanto à ideia da Trindade e elas comungaram comigo pacientemente.

Zhang Mo me disse com voz gentil: “Irmã Zhong, a pergunta que você fez também me confundiu por muitos anos. Só foi agora há pouco que obtive a resposta em um livro. Vamos ler algumas palavras neste livro juntas, e então você saberá a resposta para esta questão. Irmã Li, você gostaria de ler?”

A irmã Li disse: “Tudo bem. Nestes dias também li algumas palavras neste livro. Descobri que essas palavras são muito práticas e cheias de autoridade e poder, e são todas a verdade! Elas respondem a esta pergunta de forma muito clara. Vamos ler várias passagens das palavras neste livro: ‘Já que todas as pessoas dizem que Deus é o único Deus verdadeiro, então há um único Deus, que não é divisível arbitrariamente por ninguém! Deus é um só Espírito e somente uma pessoa; e esse é o Espírito de Deus. Se é como você diz, o Pai, o Filho e o Espírito Santo, então não são Eles três Deuses? O Espírito Santo é uma matéria, o Filho, outra, e o Pai, ainda outra. Suas pessoas são diferentes e Suas substâncias são diferentes, então, como cada um Deles pode ser parte de um único Deus? O Espírito Santo é um Espírito; isso é fácil para o homem entender. Se assim for, então o Pai é ainda mais um Espírito. Ele nunca desceu à terra e nunca Se tornou carne; Ele é Deus Jeová no coração do homem e certamente também é um Espírito. Então, qual é a relação entre Ele e o Espírito Santo? É o relacionamento entre Pai e Filho? Ou é o relacionamento entre o Espírito Santo e o Espírito do Pai? A substância de cada Espírito é a mesma? Ou o Espírito Santo é um instrumento do Pai? Como isso pode ser explicado? E então, qual é a relação entre o Filho e o Espírito Santo? É uma relação entre dois Espíritos ou a relação entre um homem e um Espírito? Todas essas são questões que não podem ter explicação! Se Eles todos são um só Espírito, então não se pode falar de três pessoas, pois Eles são possuidores de um único Espírito. Se Eles fossem pessoas distintas, então os Espíritos Deles variariam em força, e Eles simplesmente não poderiam ser um único Espírito. Este conceito do Pai, do Filho e do Espírito Santo é muito absurdo!

O que é o Pai Santo? O que é o Filho? O que é o Espírito Santo? Jeová é o Pai Santo? Jesus é o Filho? E o Espírito Santo? Não é o Pai um Espírito? Não é a substância do Filho também um Espírito? A obra de Jesus não foi a obra do Espírito Santo? Não foi a obra de Jeová realizada na época por um Espírito igual ao de Jesus? Quantos Espíritos Deus pode ter? De acordo com a sua explicação, as três pessoas do Pai, do Filho e do Espírito Santo são uma; se assim for, existem três Espíritos, mas ter três Espíritos significa que há três Deuses. Isso significa que não há um único Deus verdadeiro; como esse tipo de Deus ainda pode ter a substância inerente de Deus? Se você aceita que há somente um Deus, então como Ele pode ter um filho e ser pai? Tudo isso não são simplesmente suas noções?’” (“A Trindade existe?”).

Depois que a irmã Li terminou de ler essas palavras, Zhang Mo comungou: “Essas palavras nos dizem que a ideia da Trindade de Pai, Filho e Espírito Santo dividindo a Deus é uma falácia. Há apenas um Deus. E Ele é apenas uma pessoa, e Sua substância é o Espírito. Então, a ideia da Trindade não existe de jeito nenhum. Na Era da Lei, o Deus Jeová nunca disse aos israelitas que Deus é uma Trindade. Além disso, Moisés, o homem usado por Ele naquela época, e os profetas como Isaías e Daniel, não disseram que Ele consiste do Pai Santo, do Filho Santo e do Espírito Santo. Na Era da Graça, o Senhor Jesus nunca disse que Deus é triúno. Quando os discípulos e apóstolos do Senhor viajaram por toda parte para pregar e fazer a obra, não testemunharam que Deus é uma Trindade. A Bíblia diz: ‘E o Senhor será rei sobre toda a terra; naquele dia um será o Senhor, e um será o seu nome’ (Zacarias 14:9). O Senhor Jesus disse: ‘O primeiro é: Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor’ (Marcos 12:29). Deus é único. O Deus Jeová é Espírito; o Senhor Jesus é a encarnação do Espírito de Deus, o próprio Deus; e Sua essência também é Espírito; o Espírito Santo ainda é Espírito. Portanto, Deus é o único e verdadeiro Deus, e Ele com certeza não pode ser dividido em três pessoas separadas. Assim, a Trindade não tem base na Bíblia, nem está de acordo com as palavras de Deus. É errôneo e totalmente um produto das noções e imaginações humanas”.

Depois de ouvir as palavras nesse livro e da comunhão da irmã Zhang, senti que fazia sentido. Ainda havia algumas dúvidas em meu coração, por isso, perguntei: “Irmã Zhang, agora mesmo você disse que a ideia da Trindade não é apoiada pelas palavras de Deus. Mas ainda não entendo: quando os pastores ou presbíteros explicam a Trindade, eles também mencionam palavras de Deus. Eles viram como está registrado na Bíblia que, após o Senhor Jesus ter sido batizado, uma voz dos céus disse: ‘Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.’ Eles também dizem como o Senhor Jesus com frequência chamava a Deus de Pai celestial, e Ele disse: ‘eu estou no Pai, e que o Pai está em mim’ e ‘Eu e o Pai somos um.’ Nestes versículos, há a expressão de Pai e Filho. Então, o que acontece aqui?”

Com paciência, Zhang Mo respondeu: “De fato, apenas depois que o Senhor Jesus se tornou carne e veio à terra fazer a obra é que houve a expressão de Pai e Filho. Irmã Zhong, você acaba de mencionar que, após o Senhor Jesus ter sido batizado, uma voz veio do alto disse: ‘Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo,’; isto foi Deus dando testemunho de Si mesmo; Ele estava testificando de Sua encarnação a partir da perspectiva do Espírito, pois as pessoas daquela época não sabiam que o Senhor Jesus era o Cristo e, assim, precisavam do testemunho do Espírito Santo. A seguir, vamos olhar para a conversa registrada no evangelho de João, entre Filipe e o Senhor Jesus: ‘Disse-lhe Felipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta. Respondeu-lhe Jesus: Há tanto tempo que estou convosco, e ainda não me conheces, Felipe? Quem me viu a mim, viu o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, é quem faz as suas obras’ (João 14: 8-10). Filipe, que tinha falta do conhecimento do Senhor Jesus, pensou que Ele era o Filho e que havia Deus, o Pai celestial, então ele Lhe disse: ‘mostra-nos o Pai.’ Então, o Senhor corrigiu seu erro, dizendo: ‘Quem me viu a mim, viu o Pai’ e ‘eu estou no Pai, e que o Pai está em mim.’ Ou seja, o Pai é o Filho, o Filho é o Pai e o Pai e o Filho são originalmente um e de um só Espírito. O Senhor Jesus disse isto para esclarecer que Ele e o Pai são um e o único Deus. Na verdade, foi só por causa da encarnação de Deus que houve a ideia do Pai e do Filho. E essa ideia foi adequada apenas para a época durante a qual o Senhor Jesus trabalhou na terra. Depois que Ele partiu, a ideia de Pai e Filho não existiu mais”.

Quanto mais ouvia, mais entendia. Disse com animação: “Sim! É verdade que houve a ideia de Pai e Filho apenas depois que o Senhor Jesus veio. Verifica-se que, quando Deus disse: ‘Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo,’ Ele estava sendo testemunha de Sua encarnação a partir da perspectiva do Espírito. Quando o Senhor Jesus disse: ‘eu estou no Pai, e que o Pai está em mim’ and ‘Eu e o Pai somos um,’ estava dizendo que Ele e o Deus Jeová são originalmente um e de um só Espírito, e que Deus é o único verdadeiro Deus. Graças ao Senhor! Agora tenho certeza de que a Trindade veio, de fato, das noções e imaginações das pessoas, e isso não é defensável!”

Ao ouvir minhas palavras, a irmã Li acenou com a cabeça em animação.

Naquele momento, outra pergunta surgiu em minha mente. Então eu disse: “Irmã Zhang, irmã Li, vocês acabam de dizer que, quando Deus chamou ao Senhor Jesus de Seu amado Filho, estava testificando a partir da perspectiva do Espírito de que o Senhor Jesus é a encarnação de Deus, e isso eu entendo. Mas o Senhor Jesus chamou ao Deus no céu pelo nome de Pai em Sua oração no Getsêmani, então como devo entender isso? Por favor, comungue comigo”.

A irmã Li disse: “Com relação à sua pergunta, as palavras no livro deixam bem claro. Vamos ler várias passagens de palavras: ‘Quando Jesus chamou Deus no céu pelo nome de Pai ao orar, isto foi feito somente da perspectiva de um homem criado, somente porque o Espírito de Deus havia Se vestido de uma carne comum e normal e tinha a capa exterior de um ser criado. Mesmo que dentro Dele estivesse o Espírito de Deus, Sua aparência exterior ainda era a de um homem normal; em outras palavras, Ele Se tornou o “Filho do homem”, do qual todos os homens, inclusive o Próprio Jesus, falaram. Dado que Ele é chamado o Filho do homem, Ele é uma pessoa (seja homem ou mulher, em qualquer caso, alguém com a aparência exterior de um ser humano) nascida em uma família normal de pessoas comuns. Portanto, Jesus chamar Deus no céu pelo nome de Pai era igual a como vocês inicialmente O chamavam de Pai; Ele fez isso da perspectiva de um homem criado. Vocês ainda lembram da Oração do Senhor que Jesus lhes ensinou a memorizar? “Pai nosso que estás no céu…” Ele pediu a todo homem que chamasse Deus no céu pelo nome de Pai. E desde que Ele também O chamou de Pai, o fez da perspectiva de alguém que está em pé de igualdade com todos vocês. Desde que vocês chamaram Deus no céu pelo nome de Pai, isso mostra que Jesus viu a Si mesmo em pé de igualdade com vocês, e como um homem na terra escolhido por Deus (isto é, o Filho de Deus). Se vocês chamam Deus de Pai, isso não é porque vocês são seres criados? Por maior que fosse a autoridade de Jesus na terra, antes da crucificação, Ele era apenas um Filho do homem, governado pelo Espírito Santo (isto é, Deus), e um dos seres criados da terra, porque Ele ainda tinha que completar Sua obra. Portanto, Ele chamar Deus no céu de Pai era unicamente Sua humildade e obediência. O dirigir-Se a Deus (isto é, o Espírito no céu) de tal maneira, no entanto, não prova que Ele era o Filho do Espírito de Deus no céu. Pelo contrário, era simplesmente que a perspectiva Dele era diferente, não que Ele tivesse sido uma pessoa diferente. A existência de pessoas distintas é uma falácia!’ ‘Jesus orou da perspectiva da carne. Como Ele Se revestiu de uma carne de humanidade tão normal, é da perspectiva da carne que Ele disse: “Minha casca exterior é a de um ser criado. Desde que Eu me revesti de uma carne para vir a esta terra, estou agora muito, muito distante do céu”. Por esta razão, Ele só podia orar a Deus, o Pai, da perspectiva da carne. Esse era Seu dever e era aquilo de que o Espírito encarnado de Deus deveria ser dotado. Não se pode dizer que Ele não era Deus simplesmente porque orou ao Pai a partir da perspectiva da carne. Embora Ele fosse chamado de Filho amado de Deus, Ele ainda era o Próprio Deus, pois era apenas a encarnação do Espírito, e Sua substância ainda era o Espírito.’ ‘Não há ocasião em que essa ideia da Trindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo subsista; é uma falácia raramente vista através das eras e não existe!’” (de “A Trindade existe?”).

Então, Zhang Mo comungou: “A partir dessas palavras, podemos saber que, quando o Senhor Jesus chamou de Pai ao Deus celestial enquanto orava no Getsêmani, Ele estava fazendo isso a partir da perspectiva da carne, ou seja, a partir da perspectiva de um ser criado – esta é a humildade e obediência do Senhor Jesus. Entretanto, muitas pessoas, como não entendem essa verdade, pensam que, como o Senhor Jesus orou a Deus Pai, isso prova que o Senhor era o Filho de Deus Pai – que o Deus celestial é o Pai Santo, e o Cristo na terra é o Filho Santo. Tudo isso é noção e imaginação das pessoas. A essência de Deus é Espírito e assim, como Ele pode ser Pai ou Filho? O Senhor Jesus é o Deus encarnado e Sua essência é Espírito. O fato de Cristo chamar ao Deus celestial de Pai a partir da perspectiva de um ser humano, é Sua obediência ao Pai celestial. Então, independente de quando, não há tal coisa como a Trindade de Pai, Filho e Espírito Santo”.

Depois de ouvir sua comunhão, senti como se tivesse acordado de um sonho. Também senti que fui muito ignorante ao ouvir cegamente às falácias propagadas pelos pastores e presbíteros. Pensei: “Esses líderes religiosos são realmente prejudiciais”. Assim como o Senhor Jesus disse: “São guias cegos; ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão no barranco” (Mateus 15:14).

Mais tarde, a irmã Zhang me pediu para ler outra passagem de palavras no livro: “Há somente um Deus, somente uma pessoa nesse Deus, e somente um Espírito de Deus, tanto quanto está escrito na Bíblia que ‘existe somente um Espírito Santo e um só Deus’. Independentemente de se o Pai e o Filho de que você fala existem, há um só Deus no final das contas, e a substância do Pai, do Filho e do Espírito Santo em que você crê é a substância do Espírito Santo. Em outras palavras, Deus é um Espírito, mas Ele consegue Se tornar carne e viver entre os homens, assim como estar acima de todas as coisas. Seu Espírito é todo-inclusivo e onipresente. Ele pode estar simultaneamente na carne e dentro e acima do universo. Já que todas as pessoas dizem que Deus é o único Deus verdadeiro, então há um único Deus, que não é divisível arbitrariamente por ninguém! Deus é um só Espírito e somente uma pessoa; e esse é o Espírito de Deus” (de “A Trindade existe?”). Através dessas palavras, tive uma compreensão ainda mais clara: Deus é Espírito, e há apenas um Espírito, e Ele não pode ser dividido em três pessoas separadas. Além disso, não há tal coisa como a ideia de Pai, Filho e Espírito Santo, de jeito nenhum. O Espírito de Deus é abrangente e preenche todo o cosmos. É apenas por amor às necessidades de Sua obra e pelo amor à salvação da humanidade que o Espírito de Deus veio revestido de carne como homem, e veio à terra para proclamar Suas palavras e fazer Sua obra; assim é o grande amor de Deus.

Veja também:

O mistério da Trindade, finalmente revelado

Palavra de Deus “A Trindade existe?”

Deixe uma resposta