Inscreva-se

Menu

O que é Cristo? Qual a diferença entre Cristo e o homem usado por Deus?

Muitas pessoas estão familiarizadas com a palavra "Cristo", mas não sabem o que é Cristo. Vamos explorar esse problema juntos!

As palavras de Deus dizem: “Deus tornado carne é chamado de Cristo, e assim o Cristo que pode dar a verdade às pessoas é chamado de Deus. Não há nada de excessivo nisso, pois Ele possui a substância de Deus e possui o caráter de Deus e sabedoria em Sua obra, que não podem ser alcançadas pelo homem. Aqueles que chamam a si mesmos de Cristo, mas não podem fazer a obra de Deus são fraudes. Cristo não é meramente a manifestação de Deus na terra, mas também a carne específica assumida por Deus enquanto Ele realiza e conclui Sua obra entre os homens. Essa carne não pode ser suplantada por qualquer homem, mas é uma carne capaz de suportar adequadamente a obra de Deus na terra, de expressar o caráter de Deus, de representar bem a Deus e de fornecer vida ao homem”. “O Deus encarnado é chamado de Cristo, e Cristo é a carne vestida pelo Espírito de Deus. Essa carne é diferente de qualquer homem que é da carne. Essa diferença existe porque Cristo não é de carne e sangue, mas é a encarnação do Espírito. Ele tem tanto uma humanidade normal como uma divindade completa. Sua divindade não é possuída por nenhum homem. Sua humanidade normal sustenta todas as Suas atividades normais na carne, enquanto Sua divindade realiza a obra do Próprio Deus. Seja Sua humanidade ou divindade, ambas se submetem à vontade do Pai celestial. A substância de Cristo é o Espírito, isto é, a divindade. Portanto, Sua substância é a do Próprio Deus; essa substância não interromperá Sua obra, e Ele não poderia fazer qualquer coisa que destrua Sua obra, e jamais pronunciaria palavras que fossem contra Sua vontade. Portanto, o Deus encarnado absolutamente nunca realizaria nenhuma obra que interrompesse o Seu próprio gerenciamento. Isso é o que todas as pessoas deveriam entender”.

Pelas palavras de Deus, podemos ver que Cristo é o Deus encarnado, e é o Espírito de Deus revestido de carne, ou seja, o Espírito de Deus é materializado na carne com humanidade normal e pensamento humano normal, e assim se torna uma pessoa comum e normal praticamente falando, falando e expressando a verdade entre os homens, para fazer a obra de salvar a humanidade. Assim como quando o Senhor Jesus Cristo veio à terra em carne, Ele realmente se envolveu com as pessoas e viveu com as pessoas. De acordo com as necessidades das pessoas naquela época, Ele espalhou o caminho do arrependimento, ensinando as pessoas a serem tolerantes e pacientes e a amar o próximo como a si mesmas; Ele libertou as pessoas das amarras das leis e regras e pediu-lhes que confessassem, e se arrependessem de seus pecados para que pudessem obter a abundância da graça concedida por Ele. Quando o Senhor Jesus pregou e trabalhou em todos os lugares com Seus discípulos, as pessoas praticamente experimentaram e sentiram o amor e a salvação de Deus pelo homem, e assim, ganharam um verdadeiro conhecimento de Deus, não mais crendo no vago Deus do céu. O Senhor Jesus aproximou os humanos de Deus e tirou de nossos corações a imagem de um Deus vago. Cristo é o próprio Deus; Ele tem a essência de Deus desde o Seu nascimento, que não pode ser possuída por ninguém.

Por fora, Cristo é Filho do homem comum, mas essencialmente diferente de qualquer ser humano já criado. O homem criado tem apenas a humanidade, sem o menor vestígio da essência divina. Cristo, no entanto, não tem só a humanidade. Mais importante, tem plena divindade. Ele tem a essência de Deus e pode representar Deus, expressar todas as verdades como o Próprio Deus, expressar o caráter de Deus e tudo o que Deus tem e é, e dotar o homem com a verdade, o caminho e a vida. Exatamente como disse o Senhor Jesus: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida” (João 14:6). Cristo é a manifestação de Deus na terra. Há dois mil anos, o Senhor Jesus veio à Terra para operar, encerrou a Era da Lei, iniciou a Era da Graça, expressou as verdades exigidas para a obra da redenção, ensinou as pessoas a confessar seus pecados, arrepender-se, amar os outros como a si mesmos, e realizou todos os tipos de milagres, como curar os enfermos, expulsar demônios, fazer os cegos enxergarem, os coxos andarem, curar os leprosos, ressuscitar os mortos, alimentar 5.000 pessoas com cinco pães e dois peixes, acalmar o vento e o mar com uma palavra e assim por diante. Toda essa obra foi uma expressão direta de Sua divindade e também uma manifestação da autoridade e poder de Deus. Estas são coisas que nenhum ser humano pode possuir ou alcançar. É porque Cristo expressa Sua obra divina em um corpo carnal com a humanidade normal, e pode demonstrar a verdade a qualquer hora e em qualquer lugar, alimentando, regando, pastoreando o homem e guiando toda a humanidade, que podemos dizer que Ele é Cristo, o próprio Deus encarnado.

Portanto, somente se aceitarmos e seguirmos a Cristo, seguindo de perto as pegadas do Cordeiro por onde Ele for, podemos obter o caminho de vida concedido por Deus. É como disse o Senhor Jesus Cristo:“Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida” (João 14:6).

Deixe uma resposta