Domingo, Agosto 18
BÍBLIA DE ESTUDO

    Como conhecer a Cristo

    Eu confio que todos nós estamos familiarizados com a palavra “Cristo”. Na Bíblia, foi registrado: “Mas vós, perguntou-lhes Jesus, quem dizeis que Eu sou? Respondeu-lhe Simão Pedro: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Disse-lhe Jesus: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelou, mas Meu Pai, que está nos céus” (Mateus 16:15–17). Muitas pessoas veem esses versículos e dizem sem pensar: “Cristo é o Senhor Jesus encarnado” ou “Cristo é o Messias, o Filho de Deus”, e outros dizem: “Cristo é o Filho do Homem”, “Cristo significa o ungido.” Mas diante dessas afirmações, algumas pessoas ficam intrigadas: os profetas, os reis e os sacerdotes do Antigo Testamento foram todos ungidos, então eles também são cristos? Afinal, o que é Cristo?

    Imagem de Jesus Cristo
    Imagem de Jesus Cristo pregando

    Para abordar essa questão, primeiro, vamos ver duas passagens das palavras de Deus: “O Deus encarnado é chamado de Cristo e Cristo é a carne vestida pelo Espírito de Deus. Essa carne é diferente de qualquer homem que é da carne. Essa diferença existe porque Cristo não é de carne e sangue, mas é a encarnação do Espírito. Ele tem tanto uma humanidade normal como uma divindade completa. Sua divindade não é possuída por nenhum homem. Sua humanidade normal sustenta todas as Suas atividades normais na carne, enquanto Sua divindade realiza a obra do Próprio Deus.” “Deus tornado carne é chamado de Cristo, logo, o Cristo que pode dar a verdade às pessoas é chamado de Deus. Não há nada de excessivo nisso […] O Cristo real não é meramente a manifestação de Deus na terra, mas também a carne específica assumida por Deus enquanto Ele realiza e conclui Sua obra entre os homens. Essa carne não é do tipo que pode ser substituída por qualquer homem, mas do tipo que é capaz de suportar adequadamente a obra de Deus na terra, de expressar o caráter de Deus, de representar bem a Deus e de fornecer vida ao homem.” Essas duas passagens revelam aspectos da verdade sobre o Deus encarnado. Cristo é Deus feito carne, isto é, a realização do Espírito de Deus em um corpo carnal com humanidade e pensamento normal. Ele se torna uma pessoa comum para trabalhar e falar no mundo humano. Por fora, Cristo é Filho do homem comum, mas essencialmente diferente de qualquer ser humano já criado. O homem criado tem apenas a humanidade, sem o menor vestígio da essência divina. Cristo, no entanto, não tem só a humanidade. Mais importante, tem plena divindade. Ele tem a essência de Deus e pode representar Deus, expressar todas as verdades como o Próprio Deus, expressar o caráter de Deus e tudo o que Deus tem e é, e dotar o homem com a verdade, o caminho e a vida. Exatamente como disse o Senhor Jesus: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida” (João 14:6). Cristo é a manifestação de Deus na terra. Há dois mil anos, o Senhor Jesus veio à Terra para operar, encerrou a Era da Lei, iniciou a Era da Graça, expressou as verdades exigidas para a obra da redenção, ensinou as pessoas a confessar seus pecados, arrepender-se, amar os outros como a si mesmos, e realizou todos os tipos de milagres, como curar os enfermos, expulsar demônios, fazer os cegos enxergarem, os coxos andarem, curar os leprosos, ressuscitar os mortos, alimentar 5.000 pessoas com cinco pães e dois peixes, acalmar o vento e o mar com uma palavra e assim por diante. Toda essa obra foi uma expressão direta de Sua divindade e também uma manifestação da autoridade e poder de Deus. Estas são coisas que nenhum ser humano pode possuir ou alcançar. É porque Cristo expressa Sua obra divina em um corpo carnal com a humanidade normal, e pode demonstrar a verdade a qualquer hora e em qualquer lugar, alimentando, regando, pastoreando o homem e guiando toda a humanidade, que podemos dizer que Ele é Cristo, o próprio Deus encarnado.

    Assim, por que os profetas e as pessoas usadas por Deus não podem ser chamados de Cristo? Existe mesmo uma verdade a ser buscada. Vamos ler algumas passagens da palavra de Deus: “Isaías, Ezequiel, Moisés, Davi, Abraão e Daniel foram líderes ou profetas entre o povo escolhido de Israel. Por que eles não foram chamados de Deus? Por que o Espírito Santo não deu testemunho deles? Por que o Espírito Santo deu testemunho de Jesus assim que Ele iniciou Sua obra e começou a proferir Suas palavras? E por que o Espírito Santo não deu testemunho dos outros? Eles, homens que eram de carne, eram todos chamados de Senhor. Independentemente da denominação que recebiam, sua obra representa seu ser e substância, e seu ser e substância representam sua identidade. Sua substância não está relacionada às suas denominações; é representada pelo que expressaram e pelo que viveram. No Antigo Testamento, não havia nada fora do comum em ser chamado de Senhor, e uma pessoa poderia ser chamada de qualquer forma, mas sua substância e identidade inerentes eram imutáveis.” “As palavras do Deus encarnado iniciam uma nova era, guiam toda a humanidade, revelam mistérios e mostram ao homem a direção à frente em uma nova era. O esclarecimento obtido pelo homem nada mais é do que simples prática ou conhecimento. Não pode guiar a humanidade inteira rumo a uma nova era nem revelar os mistérios do Próprio Deus. Deus, afinal, é Deus, e o homem é o homem. Deus tem a substância de Deus, e o homem tem a substância do homem.” Dessas passagens, podemos ver com facilidade que a essência do Senhor Jesus Cristo é Deus, que Ele pode fazer diretamente a obra de Deus, expressar tudo o que Ele tem e é, e dar às pessoas a verdade, o caminho e a vida. Ninguém mais poderia fazer isso em seu lugar, ou de qualquer outra obra. Aqueles que são corrompidos por Satanás possuem apenas humanidade, não podem expressar a verdade e não podem realizar a obra de Deus. Assim como na Era da Lei, no Antigo Testamento, muitos profetas antigos, como Moisés, Daniel e Isaías, levaram as pessoas a obedecer aos mandamentos e às palavras de Deus com base na obra de Dele na Era da Lei, espalhando profecias entre os israelitas, como instruídos por Deus, ou transmitindo as palavras Dele, tais como lembretes e admoestações aos israelitas, e assim por diante. E tudo isso vai de encontro com os deveres do homem. Sem as instruções de Deus, o papel de transmitir as Suas palavras não existiria. Isso prova que os próprios profetas não tinham verdade ou o caminho da vida. Eles eram simplesmente pessoas que foram usadas por Deus e cooperaram com a obra do Espírito Santo. Embora sejam chamados de ungidos, eles não são cristos. Portanto, Deus tem a essência de Deus e, o homem, a essência de homem. Para dizer que alguém é Cristo, esse alguém deve ter a essência de Deus, expressar a verdade e se capaz de realizar a obra de salvar a humanidade. Não é uma questão apenas de nome. Não importa como sejam chamados, os seres criados são sempre humanos, não o Cristo. Portanto, podemos entender Cristo como a encarnação do Espírito de Deus. A essência de Cristo é a combinação da humanidade normal e da divindade completa. Ele é o próprio Deus na terra.

    Com essa comunhão, acredito que agora temos alguma compreensão do que é o Cristo. Para entender mais claramente este aspecto da verdade, também precisamos buscar e contemplar mais, porque isso é muito útil para nós recebermos o retorno do Senhor. A Bíblia profetiza: “Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até o ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem” (Mateus 24:27). “Pois, assim como o relâmpago, fuzilando em uma extremidade do céu, ilumina até a outra extremidade, assim será também o Filho do homem no seu dia. Mas primeiro é necessário que Ele padeça muitas coisas, e que seja rejeitado por esta geração” (Lucas 17:24–25). Essas profecias mencionam: “ a vinda do Filho do homem,” e todos nós sabemos que o Senhor Jesus encarnado é chamado de Filho do Homem e de Cristo. Então a “ a vinda do Filho do homem” mencionada pelo Senhor Jesus, muito provavelmente, se refere a Deus retornando encarnado nos últimos dias. A forma como entendemos o Deus encarnado e como entendemos o Cristo dos últimos dias está diretamente relacionada à questão de saber se podemos obter a salvação de Deus, por isso, devemos buscar com cuidado a obra e as palavras de Deus, bem como ouvir a Sua voz, se formos receber a manifestação do Senhor.

    Por Xiaojuan

    Voltar para: Conheça Jesus Cristo


    Veja também:
    1-Como se preparar para a segunda vinda de Jesus?
    2-Como distinguir a voz de Deus? Só de acordo com os 3 princípios

    Por favor, leia e concorde com a nossa política de privacidade abaixo para começar a conversar com a gente.

    Você leu e concordou com a nossa política de privacidade?