Inscreva-se

Menu

O mito da Trindade, finalmente revelado

Nota do editor

A “Trindade” é uma das conclusões do mundo religioso sobre Deus. Por cerca de 2000 anos, esta teoria tem sido aceita e reconhecida pela maioria dos cristãos. Embora alguns deles fiquem confusos sobre a existência da teoria trinitária de Deus, ela é difícil de explicar e o Deus trino se tornou um mistério nos corações dos cristãos. A teoria da Trindade aguenta o escrutínio? Qual é o relacionamento entre Jeová e Jesus? Creio que a experiência do autor abaixo pode ajudá-lo a resolver o mistério.

Confusão sobre o Deus três-em-um

Toda vez que meu pastor pregava seus sermões, cantávamos o hino “Gloria Patri”. O pastor dizia que cremos no único Deus verdadeiro da Trindade, o Pai Jeová, o Filho – o Senhor Jesus –, e o Espírito Santo, que são três pessoas diferentes no único Deus verdadeiro. Eu ficava muito confuso sobre isso: como há somente um Deus verdadeiro, qual é o relacionamento entre Jeová e o Senhor Jesus? Se o Pai, o Filho e o Espírito Santo são três pessoas, como podem ser um? Senti que isso era ilógico. Fui buscar respostas com meu pastor, mas toda vez ele me dava desculpas, ou dizia que falaria comigo depois dos cultos, ou que era uma hora inadequada, e que eu deveria perguntar-lhe mais tarde. Percebi que o pastor estava me evitando de propósito, então não lhe perguntei novamente, mas não conseguia dar sentido à teoria da Trindade.

O mistério da Trindade, Igreja

A teoria da Trindade aguenta o escrutínio?

Em um fim de semana de junho de 2017, minha esposa me disse com alegria que o Senhor Jesus já havia retornado, e me convidou para ir a uma reunião, o que aceitei, feliz.

Em Nova York, em junho, o sol brilhava e o cenário era belo. Dirigimos com nosso bebê pequeno até o local da reunião, onde conheci o irmão Liu, a irmã Hao Jing e a irmã Lisa. No instante que nos conhecemos, senti como se fôssemos velhos amigos e a reunião foi relaxante e aliviadora. Meus irmãos e irmãs comungaram pacientemente comigo sobre as questões que levantei, e suas respostas foram muito úteis. Então depois disso, eu lhes fiz as perguntas sobre a Trindade que tinham me incomodado há tanto tempo.

Eu disse: “Meu pastor, com frequência, nos diz que Deus é único em três pessoas, e que o Pai, o Filho e o Espírito Santo são as três pessoas do único Deus verdadeiro. Não entendi como há apenas um Deus verdadeiro, se Ele tem três pessoas diferentes. Irmão Liu, você pode discutir sua opinião sobre o Deus trino? Vamos ler uma passagem da palavra de Deus Todo-Poderoso”.

Ele abriu um site e encontrou uma passagem da palavra de Deus para que eu lesse: “Se algum entre vocês disser que a Trindade realmente existe, então explique exatamente o que é este único Deus em três pessoas. O que é o Pai Santo? O que é o Filho? O que é o Espírito Santo? Jeová é o Pai Santo? Jesus é o Filho? E o Espírito Santo? Não é o Pai um Espírito? Não é a substância do Filho também um Espírito? A obra de Jesus não foi a obra do Espírito Santo? Não foi a obra de Jeová realizada na época por um Espírito igual ao de Jesus? Quantos Espíritos Deus pode ter? De acordo com a sua explicação, as três pessoas do Pai, do Filho e do Espírito Santo são uma; se assim for, existem três Espíritos, mas ter três Espíritos significa que há três Deuses. Isso significa que não há um único Deus verdadeiro; como esse tipo de Deus ainda pode ter a substância inerente de Deus? Se você aceita que há somente um Deus, então como Ele pode ter um filho e ser pai? Tudo isso não são simplesmente suas noções? Há somente um Deus, somente uma pessoa nesse Deus, e somente um Espírito de Deus, tanto quanto está escrito na Bíblia que ‘existe somente um Espírito Santo e um só Deus’. Independentemente de se o Pai e o Filho de que você fala existem, há um só Deus no final das contas, e a substância do Pai, do Filho e do Espírito Santo em que você crê é a substância do Espírito Santo.

Depois disso, ele comungou: “Através da passagem da palavra de Deus que você acabou de ler, podemos entender que Jeová é o Espírito de Deus, e o Senhor Jesus é a encarnação terrena do Espírito de Deus. Na substância, Eles são o mesmo Espírito, ou seja, há apenas um Deus. Na Era da Lei, Deus agiu como Espírito, e na Era da Graça, Ele agiu como ser encarnado, mas não importa se Deus agiu como Espírito ou carne, Ele é o mesmo Espírito fazendo diferentes obras. É por isso que a teoria das ‘três pessoas’ não aguenta o escrutínio, e é por isso que o Deus trino não existe!”

A questão do Pai e do Filho na Bíblia

Eu disse: “Irmão Liu, concordo plenamente com sua comunhão. Deus como Jeová e o Senhor Jesus estavam fazendo diferentes obras em diferentes eras. Sua obra era diferente e Seus nomes também, mas na essência Eles fizeram a obra do mesmo Espírito, então Jeová e o Senhor Jesus eram o mesmo Deus. Mas ainda que Jeová e Jesus fossem o mesmo Deus, por que a Bíblia registra que, depois que o Senhor Jesus foi batizado, uma voz veio do céu dizendo: ‘Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo’ (Mateus 3:17). Por que Deus chamou Jesus de Seu Filho amado? E quanto à oração do Senhor Jesus no Getsêmani, onde Ele clamou a Deus Pai celestial? ”

O irmão Liu sorriu enquanto respondia: “Você fez uma pergunta crucial. Como muitas pessoas não veem essa questão com clareza, elas usam imaginações e teorias como base para a teoria do Deus trino, e creem que o Senhor Jesus tem um Pai. É certo dizer isso? A Bíblia registra uma conversa entre o Senhor Jesus e Filipe: ‘Disse-lhe Felipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta. Respondeu-lhe Jesus: Há tanto tempo que estou convosco, e ainda não me conheces, Felipe? Quem me viu a mim, viu o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, é quem faz as suas obras’ (João 14:8-10). A partir dessa conversa, podemos ver que Filipe pensou que o Senhor Jesus era o Filho de Jeová, que Ele tinha um Pai celestial, mas o Senhor Jesus se recusou a confirmar isso. Em vez disso, o Senhor apenas disse: ‘Quem me viu a mim, viu o Pai;’ e ‘eu estou no Pai, e que o Pai está em mim.’ O Senhor Jesus disse com muita clareza que o Pai é o Filho e que o Filho é o Pai, que os dois são um no mesmo. Mas por que não entendemos isso depois de ouvi-lo? Em primeiro lugar, porque não conhecemos a essência do Deus encarnado, e não entendemos o aspecto da verdade com relação ao Espírito de Deus realizado na carne. Vamos ler outra passagem da palavra de Deus”.

Eu li: “Ainda há aqueles que dizem: ‘Deus não declarou expressamente que Jesus era Seu Filho amado?’ Jesus é o amado Filho de Deus, em quem Ele Se compraz — isso foi certamente declarado pelo Próprio Deus. Isso foi Deus testemunhando de Si Mesmo, apenas de uma perspectiva diferente, aquela do Espírito no céu testemunhando de Sua própria encarnação. Jesus é Sua encarnação, não Seu Filho no céu. Você compreende? As palavras de Jesus ‘Eu estou no Pai, e o Pai está em Mim’, não indicam que Eles são um só Espírito? E não é por causa da encarnação que Eles foram separados entre o céu e a terra? Na verdade, Eles ainda são um; não importa o que aconteça, é simplesmente Deus testemunhando de Si Mesmo. Devido à mudança nas eras, às exigências da obra e às diferentes etapas de Seu plano de gestão, o nome pelo qual o homem O chama também varia. Quando Ele veio para realizar a primeira etapa da obra, Ele só poderia ser chamado de Jeová, pastor dos israelitas. Na segunda etapa, o Deus encarnado só poderia ser chamado de Senhor e Cristo. Mas naquela época, o Espírito no céu declarou apenas que Ele era o Filho amado de Deus, e não fez menção de Ele ser o único Filho de Deus. Isso simplesmente não aconteceu. Como Deus poderia ter um filho único? Então, Deus não teria Se tornado homem? Porque Ele era a encarnação, foi chamado o amado Filho de Deus e, com isso, veio o relacionamento entre Pai e Filho. Foi simplesmente por causa da separação entre o céu e a terra. Jesus orou da perspectiva da carne. Como Ele Se revestiu de uma carne de humanidade tão normal, é da perspectiva da carne que Ele disse: ‘Minha casca exterior é a de um ser criado. Desde que Eu me revesti de uma carne para vir a esta terra, estou agora muito, muito distante do céu’. Por esta razão, Ele só podia orar a Deus, o Pai, da perspectiva da carne. Esse era Seu dever e era aquilo de que o Espírito encarnado de Deus deveria ser dotado. Não se pode dizer que Ele não era Deus simplesmente porque orou ao Pai a partir da perspectiva da carne. Embora Ele fosse chamado de Filho amado de Deus, Ele ainda era o Próprio Deus, pois era apenas a encarnação do Espírito, e Sua substância ainda era o Espírito.

O irmão Liu então comungou: “A palavra de Deus claramente nos diz que o Senhor Jesus é a encarnação do Espírito de Deus no céu. Quando o Deus celestial chamou o Senhor Jesus de Seu Filho amado, Ele testificava de Sua própria encarnação a partir de uma perspectiva espiritual, porque há somente um Deus e um Espírito no céu. Para sermos mais específicos, o Deus encarnado era a manifestação carnal de Jeová, ou seja, o Espírito de Jeová se humilhou e escondeu-se dentro de um corpo carnal tangível e assumiu a forma de um Filho do homem comum. Quando o Senhor Jesus orou e falou do Pai celestial, estava apenas dando um título ao Espírito de Deus a partir da perspectiva de um ser criado, ou seja, um homem. Mas isso não prova que o Senhor Jesus era, de fato, o Filho do Espírito de Deus no céu. Antes que o Senhor Jesus fosse crucificado, Ele era o Filho do homem, o Cristo, não a personificação da glória, então, quando Ele chamou a Deus Pai celestial a partir da perspectiva de um ser criado, isso demonstrou a humildade e obediência do Senhor Jesus. Mas também, de todos os apóstolos que seguiam o Senhor Jesus Cristo, exceto Pedro, que foi iluminado pelo Espírito Santo do fato de que o Senhor Jesus era Cristo, nenhum sabia que Jesus Cristo era o Deus encarnado, e é por isso que o Espírito de Deus testificou de Seu corpo carnal a partir de Sua perspectiva espiritual, chamando a Deus na carne de Filho, enquanto o Deus encarnado chamou o Espírito no céu de Seu Pai a partir da perspectiva da carne. Essa é a origem das expressões Pai e Filho. Mas essas expressões eram adequadas apenas ao período da obra no qual o Senhor Jesus foi encarnado. Depois que Ele se foi, não havia mais Pai ou Filho, e é por isso que não nos permitimos crer em um Deus trio por causa da declaração de Pai e Filho. A teoria não permanece!”

Depois que ouvi a comunhão do irmão Liu, meu coração ficou leve. Eu disse: “Amém! Obrigado por sua comunhão, irmão! O Senhor Jesus chamou a Deus de Pai celestial porque estava falando da perspectiva de um ser criado, o que demonstra a natureza humilde e oculta de Deus. A verdade é que Deus é um Espírito, no céu Ele é chamado de Jeová, e encarnado, Ele é chamado de Jesus, mas Sua essência ainda é o Espírito, e é por isso que o Senhor Jesus disse a Filipe: ‘Quem me viu a mim, viu o Pai.’”

O irmão Liu sorriu e me disse: “Louvado seja Deus! Isso é absolutamente correto. É porque não entendemos a verdade da encarnação de Deus que O separamos em três pessoas”.

Minha esposa disse: “Sim! Se Deus não nos tivesse dito em pessoa, nunca poderíamos ter entendido”.

O irmão Liu disse: “Sim, assim como a oração que recitamos todos os dias: ‘Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome’ (Mateus 6:9). O Senhor Jesus estava nos ensinando a orar a Seu Espírito. Podemos nos ver como adultos com conhecimento e experiência, mas aos olhos de Deus ainda somos bebês que não entendem nada. Vamos ler outras passagens da palavra de Deus. Jimmy, vá em frente”

Li com determinação: “Deus é um Espírito, mas Ele consegue Se tornar carne e viver entre os homens, assim como estar acima de todas as coisas. Seu Espírito é todo-inclusivo e onipresente. Ele pode estar simultaneamente na carne e dentro e acima do universo. Já que todas as pessoas dizem que Deus é o único Deus verdadeiro, então há um único Deus, que não é divisível arbitrariamente por ninguém!” “O Espírito dentro de Jesus, o Espírito no céu e o Espírito de Jeová são todos um. Pode ser chamado o Espírito Santo, o Espírito de Deus, o Espírito sete vezes intensificado e o Espírito todo-inclusivo. O Espírito de Deus pode realizar muita obra. Ele é capaz de criar o mundo e de destruí-lo inundando a terra; Ele pode redimir toda a humanidade e, além disso, Ele pode conquistar e destruir toda a humanidade. Toda essa obra é realizada pelo Próprio Deus e não pode ter sido feita por qualquer outra das pessoas de Deus em Seu lugar. Seu Espírito pode ser chamado pelos nomes de Jeová e Jesus, bem como de Todo-Poderoso. Ele é o Senhor, e Cristo. Ele também pode se tornar o Filho do homem. Ele está nos céus e também na terra; Ele está no alto, acima dos universos e entre a multidão. Ele é o único Mestre dos céus e da terra!

O irmão Liu disse “A palavra de Deus nos diz com clareza que Ele é um Espírito, e que Este está em toda parte e é onipotente. O Espírito de Deus pode encarnar como carne e viver entre os homens, e pode controlar tudo no universo. O Espírito de Deus pode operar muitas obras. Ele pode criar pessoas, guiá-las e salvá-las, e ainda pode conquistar essas pessoas, aperfeiçoá-las e extingui-las. Não importa se Deus trabalha no céu ou na terra, não importa se Ele é Espírito ou Cristo, Ele é Deus o Criador. No passado, como não tínhamos conhecimento da essência do Deus encarnado, só podíamos seguir o mundo religioso e separá-Lo, mas hoje, a análise de Deus Todo-Poderoso sobre a separação de Deus feita pelo mundo religioso é que essa é a mais absurda das teorias. Hoje, entendemos que há apenas um Deus e não importa como oremos ou que título Lhe demos, o Espírito de Deus e Sua encarnação são um Deus e um Espírito, não três Espíritos ou três pessoas. Isso é um fato, e ninguém pode duvidar dele!”

Após isso, o irmão Liu ainda comungou sobre os aspectos da verdade relacionada ao Deus encarnado e os três estágios da obra Dele para salvar a humanidade. Foi aí que minha esposa perguntou se eu podia ter certeza se o Deus Todo-Poderoso era a manifestação do Senhor Jesus e eu respondi com segurança: “Eu creio! Porque creio que todas essas palavras são de Deus. Encontrei respostas a todas minhas perguntas nessas palavras, então creio que o Deus Todo-Poderoso é a manifestação do Senhor Jesus”. Meus irmãos e irmãs ficaram muito felizes quando me ouviram dizer isso. Meu irmão disse: “Graças a Deus! Todas as ovelhas de Deus ouvem à Sua voz”.

Depois disso, comecei a participar com regularidade das reuniões com meus irmãos e irmãs.

Participando das bodas do Cordeiro

Vento, neve e chuva vieram e se foram, junto com a primavera e o outono e, num piscar de olhos, já fazia mais de um ano desde que aceitei a nova obra do Deus Todo-Poderoso. Nesse período, através da leitura da palavra de Deus nas reuniões com meus irmãos e irmãs, assistindo filmes evangélicos e vídeos da experiência e testemunho de meus irmãos e irmãs, entendi algumas das verdades, e agora, faço o que posso na igreja para cumprir meus deveres como ser criado. Graças a Deus que Seu amor veio até mim e fui afortunado o suficiente para seguir as pegadas Dele e participar das bodas do Cordeiro.