Inscreva-se

Menu

A graça de Deus - Como o meu marido sobreviveu ao acidente

A graça de Deus - Como o meu Marido Sobreviveu ao Acidente

Em uma tarde, após as 15h, eu tinha acabado de voltar para casa quando o telefone tocou. Eu atendi e ouvi a voz fraca do meu marido: “Eu sofri um acidente”. Quando ouvi isso, meu coração subiu para minha garganta e eu perguntei rapidamente: “Onde você está? Você está bem?” Antes de conseguir ouvir sua localização, a ligação caiu de repente. Naquela hora, meu coração batia forte e todo o meu corpo estava mole. Eu urgentemente gritei a Deus em meu coração: “Ó Deus! Meu marido sofreu um acidente. Eu não sei como e onde ele está. Ó Deus! Por favor, deixe-me encontrá-lo.” Logo quando eu estava em pânico, de repente me ocorreu que eu poderia pedir ao meu cunhado para me levar de moto para procurar meu marido.

Então, nós procuramos pelo meu marido ao longo de seu caminho para casa, enquanto isso eu continuava rezando. De repente, eu vi uma multidão se juntando à distância e meu coração imediatamente parou: “Talvez o meu marido esteja lá. Tanta gente junta; será que ele morreu?” Em seguida, eu corri para lá eu vi o meu marido deitado e gemendo pelo chão, pálido e suando. Com essa visão, eu senti o meu coração espetar dolorosamente. Sabendo que alguém chamara a ambulância, eu imediatamente consolei o meu marido: “Aguente firme; uma ambulância está vindo; você ficará bem.” Ele disse sem forças: “Minha barriga dói muito. Estou com medo de não aguentar.” Depois de ouvir estas palavras, meu coração bateu violentamente, lágrimas escorreram pelo meu rosto. Eu estava morrendo de ansiedade e desespero pela ambulância chegar logo. Finalmente, a ambulância chegou, mas então eu me lembrei que estava sem dinheiro comigo. Logo quando estava ansiosa, eu pensei em Deus e chamei por Ele: “Ó Deus! Eu esqueci de trazer dinheiro. O que eu posso fazer?” Nessa hora, um homem me entregou 3.000 yuan. Eu caí em lágrimas porque eu sabia lá no fundo que era uma obra de Deus. Naquela hora, eu pensei nas seguintes palavras: “O coração e o espírito do homem são guardados na mão de Deus […]”. É isso mesmo. O coração e o espírito do homem estão nas mão de Deus. É obra e arranjo de Deus que esse homem, com quem encontrei apenas poucas vezes, poderia me emprestar o dinheiro. Eu, então, imediatamente fui na ambulância com o meu marido. No caminho para o hospital, eu continuava chamando Deus no meu coração: “Ó Deus! Se meu marido viver ou morrer está em Suas mãos. Por favor, ajude-me a obedecer a Sua soberania e o seu plano.”

Depois que chegamos ao hospital, o médico fez um profundo exame no meu marido. Quando o médico recebeu os resultados, ele olhou o raio-X repetidas vezes com suas sobrancelhas preocupadas e disse seriamente: “Receio que o fígado dele esteja rompido e sangrando. Se o sangramento não parar, ele vai morrer. Desculpe, mas não podemos curá-lo, porque nosso hospital não tem o equipamento médico necessário.” No momento em que ouvi essas palavras, eu comecei a ver escuro e quase desmaiei. Em transe, eu ouvi ele dizer: “Eu sugiro que você vá ao Hospital do Segundo Povo, que possui o equipamento. Vá logo. Quanto mais você adiar, mais ele estará em risco.” Ao ouvir isso, eu pensei comigo mesma: “Ó não! Será que o meu marido aguenta a viagem?” Logo quando estava preocupada, essas palavras vieram a mim: “Quem dentre toda a humanidade não é cuidado aos olhos do Todo-Poderoso? Quem não vive em meio à predestinação do Todo-Poderoso?” Essas palavras consolaram o meu coração e eu pensei: “A vida do meu marido está nas mãos de Deus. Se ele viver ou morrer será determinado por Deus. Se Deus não permitir, ele não morrerá, não importa o que aconteça no caminho.” Com esse pensamento, eu gradualmente fui me acalmando.

Então, nós saímos rapidamente e corremos para o Hospital do Segundo Povo. No caminho, eu constantemente pedia para o motorista ir mais rápido. Finalmente, nós chegamos. Entretanto, depois de o médico olhar o raio-X, ele disse: “Ele está em condição crítica. Nós não podemos curá-lo. Eu sugiro que o leve para o hospital da província.” Ao ouvir essas palavras, eu tremi de medo e minha cabeça buzinando. Eu pensei comigo mesma: “Tempo é vida. Já se passaram três horas desde que o acidente aconteceu. O hospital da província fica ainda a cinco horas de distância. Será que ele aguenta até lá?” E, novamente, eu rezei a Deus: “Ó Deus! O Médico me disse para levar o meu marido para o hospital da província, mas é um longo caminho. Estou com medo de ele não aguentar até lá. Eu não sei o que fazer. Ó Deus! Eu estou disposta a confiar o meu marido a Você. A vida dele está a Sua mercê. Por favor, proteja-me para ser obediente.” Depois da oração, eu me senti mais calma. Então, nós corremos para o hospital da província. Na ambulância, eu liguei para o meu filho e pedi para que fosse ao hospital com sua família assim que possível. Olhando o meu marido inconsciente, eu estava cheia de ansiedade. Sabendo que cada segundo é crítico para ele, eu olhava para o aparelho de pressão e para o de ventilação sem piscar, temendo que ele morresse a qualquer momento. Em pânico, eu pensei se meu marido viver ou morrer está nas mãos de Deus. Se Deus não permitir, então o meu marido não morrerá enquanto ele tiver um suspiro.”

Com o passar do tempo, eu fiquei com medo novamente. Após 1h da manhã, nós finalmente chegamos no hospital, onde meu filho, minha nora e meu neto já estavam. Nós rapidamente passamos pelo processo de admissão e, então, o meu marido foi diagnosticado com ruptura do fígado e do intestino grosso. Havia muito vazamento de excremento em seu abdome e precisava de uma operação imediatamente. O médico encarregado disse: “Vocês chegaram muito tarde. Mas é um milagre que ele ainda esteja vivo depois de um tempo tão longo.” Ao ouvir isso, eu sabia que era por causa do cuidado e proteção de Deus. Após as 3h da manhã, meu marido entrou em cirurgia. Nós sentamos nos bancos do lado de fora, esperando silenciosamente. O silêncio da noite me fez sentir muito desolada. Eu realmente esperava que ele sobrevivesse.

Após as 5h da manhã, meu marido foi transferido para a UTI. O médico disse que meu marido ainda não estava fora de perigo, então ainda deveríamos esperar. Não foi até as 14h que nós finalmente tivemos autorização para entrar na UTI. Ao ver o meu marido deitado sem movimento, com seus olhos fechados, não consegui resistir e derramei algumas lágrimas. Apesar de estar mau, eu senti um pouco de conforto: passaram-se doze horas desde que o acidente aconteceu. Se não fosse pela proteção de Deus, meu marido já teria morrido. Tudo isso foi uma obra maravilhosa de Deus. O que foi mais miraculoso é que o meu marido foi transferido para a enfermaria três dias mais tarde e recuperou-se rapidamente após isso. No dia seguinte, ele conseguiu sair da cama e andar um pouco. Até o médico ficou maravilhado: “O seu marido tem muita sorte.” Ao ouvir isso, eu pensei: “É a graça de Deus, não é mesmo?” Oito dias depois, o meu marido recebeu alta do hospital e nós retornamos à nossa vida pacata. Aproveitando a graça de Deus, eu continuei agradecendo a Ele no meu coração.

Nesse acidente, o meu marido ficou muito próximo da morte, mas ele sobreviveu sem sequelas, por isso eu vi a autoridade de Deus. Nessa experiência, foi Deus quem me guiou a cada passo. Quando estava com medo ou desolada, as palavras d’Ele me deram força, removeram o meu medo e fortaleceram a minha fé. Eu vivenciei profundamente que nada é difícil para Deus e que, enquanto nós confiarmos e procurarmos a Deus, Ele nos guiará através das dificuldades. Graças a Deus!

Tradução: Wlad Formiga