Inscreva-se

Menu

Testemunho cristão: “Meu câncer uterino foi curado por um milagre”

Olá, irmãos e irmãs.

Agradeço ao Senhor por esta oportunidade de estar diante de vocês para testemunhar as obras maravilhosas que Ele tem feito em mim. Todas as vezes que eu ouço esse hino, memórias de dez anos atrás são trazidas de volta: “Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam… Todos os dias da minha vida, todos os dias da minha vida, certamente que a bondade, certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão. Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida.”

Testemunho cristão: “Meu câncer uterino foi curado por um milagre”

Lembro que era maio de 2007. Durante a primavera, as árvores lá fora exibiam brotos verdes e da mesma cor se tingiam os campos. Havia sinais de vida por todo lado. No entanto, eu que estava doente em uma cama, via tudo cinzento.

“Mãe, descanse que eu vou pagar a conta do médico.” Olhando para meu filho que saía, eu pensava: não me contaram, não me disseram a verdade e mesmo assim me transferiram para o hospital do câncer. Isso não está certo. Tenho que saber o que aconteceu. Então, eu o segui em silêncio e sem me dar conta vi as palavras escritas no diagnóstico: “tumor maligno”. Naquele momento, não acreditei no que via. Peguei o resultado da mão dele e confirmei que realmente tinha câncer. Então meu filho hesitante disse: “Mãe, de acordo com o médico, você tem câncer de útero em estágio 3A. Você precisa se internar agora para fazer quimioterapia. Sua expectativa de vida é de três meses.”

Essas palavras me atingiram como um raio. Eu me perguntei: “Estou sonhando? Sou tão nova. Como posso estar em estado terminal? Com tanta gente no mundo, por que eu tenho que ter essa doença? Embora eu tivesse trabalhado duro para ter mais dinheiro, de que adianta? Pode salvar minha vida? Se eu morrer, o que vai acontecer com minha família e meus filhos?” Pensando nisso, senti desespero em meu coração e não soube como havia retornado à enfermaria com aqueles pesados passos.

Nos dias seguintes, com o rosto banhado em lágrimas, pensava: “Essa doença é muito grave, como posso me curar?” Toda vez que via meus companheiros de enfermaria morrer, ficava com medo de ser a próxima. Justamente quando estava vivendo em dor e desespero, vi as seguintes palavras de um livro religioso: “Quando acontece uma doença é devido ao amor de Deus e Suas boas intenções certamente estão por trás disso. Mesmo quando seu corpo passa por sofrimentos, não aceite ideias de Satanás. Louve Deus em meio à enfermidade e desfrute de Deus em meio ao seu louvor. Não desanime diante da enfermidade, continue buscando e nunca desista, e Deus fará brilhar Sua luz em você. Quão fiel foi Jó? Deus Todo-Poderoso é um médico onipotente! Habitar a enfermidade é estar doente, mas habitar o espírito é estar bem. Se você tiver somente um sopro de vida, Deus não o deixará morrer.” Depois disso, chorei de emoção. Essas palavras me deram fé e força. Eu pensei: “Está certo! Deus é todo-poderoso. Mesmo que tenha somente um sopro de vida, não vou morrer se Ele não permitir.” Lembrei-me de que desde que tinha adoecido, estava vivendo preocupada, com medo e sem fé em Deus. Não tinha nada que fazer a não ser ajoelhar e orar a Deus. “Ó Deus! Minha vida e morte estão em suas mãos. Agora, entrego-me a Ti. Por favor, dá-me fé e força.”

Para facilitar o tratamento, meu filho alugou uma casa perto do hospital municipal. A cada 20 dias eu me internava para as sessões de quimioterapia que duravam uma semana. Eu sofria muito com o tratamento. Tinha diarreia, vômitos, dores nas costas, além de ter o corpo todo numerado. Tudo me doía, era como se formigas gigantes estivessem roendo meus ossos, o que fazia a morte mais atrativa que a vida. Justo quando a dor se intensificou, meu filho trouxe irmãos no Senhor para me visitar. Eles me revelaram a vontade de Deus: “Deus criou todas as coisas no universo e é ainda mais responsável por elas. Deus é todo-poderoso. Nossas vidas estão em Suas mãos. Portanto, desde que tenhamos fé em Deus e em Nele mais confiemos, veremos Suas obras.” Depois oraram por mim.

Ao ouvir essa comunhão, fiquei tão comovida que chorei. Não pude deixar de me ajoelhar e orar. “Ó Deus! Creio que a minha vida e morte estão em suas mãos. Agora confio minha vida a Ti. Não importa o resultado final, estarei disposta a obedecer.” Daquele momento em diante, estivesse em casa ou recebendo tratamento quimioterápico no hospital, lia a palavra de Deus e aprendia a cantar hinos de louvor todos os dias. Ademais, meus irmãos e irmãs sempre me visitavam e oravam comigo. Pouco a pouco, estava repleta de fé no Senhor, de alegria e paz no coração.

Uma vez, quando me examinaram no hospital, descobriram que o número de glóbulos brancos estava muito baixo (3, quando o normal é entre 6 e 7). O médico prescreveu um medicamento para aumentar a quantidade desses glóbulos e disse: “Se o número de glóbulos brancos não aumentar, significa que sua imunidade está muito baixa. Por causa disso um paciente morreu anteontem.” Depois de ouvir isso, fiquei muito assustada. Era como se a morte estivesse chegando perto. Naquele momento, continuei orando em meu coração: “Ó Deus! O médico disse que o número de glóbulos brancos em meu sangue está muito baixo agora e que se ele não aumentar, irei para o isolamento e posso morrer. Ó Deus! Estou com muito medo agora. Por favor, dá-me fé. Minha vida e morte estão em suas mãos, Senhor. Amém!” Depois da oração, meu coração ficou em paz. Graças a Deus! Alguns dias depois, o número de glóbulos brancos aumentou e eu atravessei a crise. Fiquei exultante e dentro do meu coração sabia que o Senhor estava sempre ao meu lado, cuidando-me e protegendo-me.

Durante o tratamento, no hospital, toda vez que eu me sentia doente pela quimioterapia, ouvia hinos, e, de maneira inconsciente, esquecia que estava doente. Por outro lado, alguns pacientes depois da quimioterapia não conseguiam comer, vomitavam, tinham diarreia, viviam apáticos e com medo, e achavam que morreriam sem a cura. Alguns morriam em pouco tempo.

Certa vez, vendo que todos os dias eu estava muito feliz, embora também tivesse câncer, um parente de um paciente me perguntou: “Ei, como é que você não tem enjoo, não vomita, pode comer e ainda tem ótima aparência? Nem parece que está doente. É tão estranho! Você tem poderes sobrenaturais?” Ao ouvir essas palavras, pensei: “Não tenho poderes sobrenaturais, tenho fé em Deus. É Deus quem me protege e me dá paz e alegria. Graças a Deus!”

Depois de mais uma sessão de quimioterapia, fui ao hospital para fazer uma avaliação. O médico me disse surpreso: “As células cancerosas desapareceram e seu corpo recuperou a normalidade.” Depois de ouvir a notícia, minha família e eu derramamos lágrimas de emoção e gratidão e todos nós sabíamos que o grande poder do Senhor havia me curado.

A Bíblia diz: “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.” (Salmos 23:4)   Depois da doença, senti que Deus estava sempre comigo, vigiando e protegendo. Quando passei pelo extremo sofrimento da quimioterapia, era a palavra de Deus que me apoiava. Sem a orientação de suas palavras, eu não teria vivido até hoje.

Naquela ocasião, o médico disse que eu tinha apenas alguns meses de vida. No entanto, dez anos depois, eu ainda vivo bem dentro do esperado. Ninguém é responsável pela vida e morte de outros e o destino de todos está nas mãos de Deus. Graças a Deus! Foi ele quem me salvou e me deu uma segunda chance de vida. Cada vez que eu penso isso, eu repito em silêncio: “De agora em diante, minha crença em Deus com certeza será reta e vou retribuir o amor Dele por mim.”

Graças a Deus! Meus irmãos e minhas irmãs, termino aqui o relato de minha experiência!

Tradução: Clara Carybé