Inscreva-se

Menu

O mistério do nome de Deus: Por que Deus muda de nome?

O nome de Deus é Jeová, como está registrado no Antigo Testamento: “Eu, eu sou Jeová, e fora de mim não há salvador” (Isaías 43:11). “Jeová é o meu nome eternamente, e este é o meu memorial de geração em geração” (Êxodo 3:15). Contudo, o Novo Testamento diz: “Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente” (Hebreus 13:8). “E em nenhum outro há salvação; porque debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, em que devamos ser salvos” (Atos 4:12). A partir desses versículos, pode-se ver que Jeová e Jesus são os nomes de Deus. Deus foi chamado Jeová no Antigo Testamento, mas recebeu o nome de Jesus no Novo Testamento. Por que o nome de Deus muda? Qual é o significado de seus nomes? Vamos explorar esse aspecto da verdade juntos.

Certa vez, li uma passagem de um livro, que me forneceu certa compreensão do significado do nome Jeová. A passagem diz: “‘Jeová’ é o nome que assumi durante Minha obra em Israel e significa o Deus dos israelitas (o povo escolhido de Deus) que pode se apiedar do homem, amaldiçoar o homem e guiar a vida do homem; o Deus que possui grande poder e é cheio de sabedoria. […] Isso significa, somente Jeová é o Deus do povo escolhido de Israel, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque, o Deus de Jacó, o Deus de Moisés e o Deus de todo o povo de Israel. E assim, na era atual, todos os israelitas, exceto o povo judeu, adoram Jeová. Eles fazem sacrifícios a Ele no altar e O servem usando vestes sacerdotais no templo. O que eles esperam é a reaparição de Jeová. […] O nome Jeová é um nome específico para o povo de Israel que viveu sob a lei. Em cada era e em cada estágio da obra, Meu nome não é infundado, mas tem um significado representativo: cada nome representa uma era. ‘Jeová’ representa a Era da Lei e é o título honorífico para o Deus adorado pelo povo de Israel” (“O Salvador já voltou sobre uma ‘nuvem branca’”).

O mistério do nome de Deus: Por que Deus muda de nome?

Na Era da Lei, Deus assumiu o nome Jeová com base em Sua obra de proclamar as leis e no caráter que expressou. Deus iniciou a obra da Era da Lei com o nome Jeová. Ele proclamou as leis e mandamentos através de Moisés e conduziu oficialmente as vidas da humanidade que acabara de nascer na terra. Ele exigiu que as pessoas obedecessem às leis com rigidez e aprendessem a adorá-lo e honrá-lo como grande. Bênçãos e graça seguiriam qualquer um que cumprisse a lei; quem a violasse seria apedrejado até a morte ou queimado pelo fogo celestial. O nome Jeová representa o que Deus expressou à humanidade naquela época: um caráter de majestade, ira, maldição e misericórdia. É por isso que os israelitas que viviam sob a lei cumpriram-na estritamente e consideravam santo o nome de Jeová. Todos adoravam a Deus Jeová, oravam a Ele, louvavam-No e ofereciam sacrifícios a Ele no altar. Os israelitas viveram sob a direção de Deus Jeová por alguns milhares de anos, até que a obra da Era da Lei terminou.

Então, por que o nome de Deus mudou para Jesus na Era da Graça? Qual é o significado do nome Jesus? Com relação a estas questões, uma passagem no livro diz com clareza: “‘Jesus’ é Emanuel, o que significa a oferta pelo pecado que é repleta de amor, repleta de compaixão e que redime o homem. Ele fez a obra da Era da Graça e representa a Era da Graça e só pode representar uma parte da obra do plano de gerenciamento. […] Somente Jesus é o Redentor da humanidade, e Ele é a oferta pelo pecado que redimiu a humanidade do pecado. Ou seja, o nome de Jesus veio da Era da Graça e veio a existir por causa da obra da redenção na Era da Graça. O nome de Jesus veio a existir para permitir que as pessoas da Era da Graça renascessem e fossem salvas e é um nome específico para a redenção de toda a humanidade. Assim, o nome de Jesus representa a obra da redenção e denota a Era da Graça” (“O Salvador já voltou sobre uma ‘nuvem branca’”).

No final da Era da Lei, como estava se tornando cada vez mais corrupta e pecadora, a humanidade não conseguia mais cumprir a lei. Assim, os seres humanos estavam sempre correndo o risco de serem punidos por violar a lei. Portanto, para salvar a humanidade, Deus encarnou-se em pessoa para realizar a obra da redenção. Ele iniciou a Era da Graça com o nome de Jesus e encerrou a Era da Lei, trazendo à humanidade graça rica e abundante, expressando um caráter de misericórdia e amor, e redimindo os seres humanos do pecado. O significado do nome do Senhor Jesus é: cheio de amor, cheio de misericórdia e uma oferta pelo pecado que pode redimir a humanidade. Portanto, na Era da Graça, se orássemos, confessássemos e nos arrependêssemos em nome do Senhor, então nossas doenças seriam curadas e nossos pecados perdoados. E, depois que aceitássemos o nome do Senhor Jesus, poderíamos sentir a presença do Senhor, sentir paz e alegria em nossos espíritos e desfrutar da graça e das bênçãos abundantes de Deus. O nome do Senhor Jesus é específico para a Era da Graça. Representa a obra de Deus e o caráter que Ele expressou na nessa era.

Apenas quando observamos os dois estágios anteriores da obra de Deus, percebemos que Ele realiza uma obra diferente em cada era, de acordo com as necessidades da humanidade, e que o nome que Ele adota em cada era tem seu próprio significado – representando Sua obra e o caráter que Ele expressa durante essa era. Deus dá início a uma nova era através de Seu nome. Ou seja, toda vez que a era e a obra de Deus mudam, Ele altera Seu nome. É por isso que o nome de Deus mudou na Era da Graça. Neste ponto, alguns irmãos e irmãs podem levantar esta questão: “Como é possível que o nome de Deus mude, pois está escrito na Bíblia que ‘Jeová é o meu nome eternamente, e este é o meu memorial de geração em geração’?

Há algumas palavras no livro que nos dão a resposta para essa pergunta com clareza: “Há quem diga que Deus é imutável. Isso está correto, mas tem a ver com a imutabilidade do caráter de Deus e Sua substância. Mudanças em Seu nome e obra não provam que Sua substância mudou; em outras palavras, Deus sempre será Deus, e isso nunca mudará.” “A sabedoria de Deus, a maravilha de Deus, a justiça de Deus e a majestade de Deus nunca mudarão. Sua essência e o que Ele tem e é nunca mudarão. Sua obra, no entanto, está sempre seguindo adiante e sempre indo mais fundo, pois Ele é sempre novo e nunca velho. Em cada era Deus assume um nome novo, em cada era Ele faz uma obra nova e em cada era Ele permite que Suas criações vejam Sua nova vontade e Seu novo caráter” (“A visão da obra de Deus (3)”).

Esse trecho nos possibilita saber que as palavras “eternamente” e “de geração em geração” presentes na Bíblia referem-se ao caráter e à essência de Deus, e, não, ao nome Dele. Os nomes de Deus surgem por causa de Seu plano de gerenciamento para salvar a humanidade: Deus realizou Sua obra na Era da Lei com o nome Jeová, e iniciou a obra da Era da Graça com o nome do Senhor Jesus. Mas, mesmo que a era e o nome de Deus mudem, Sua essência sempre será a mesma. Deus sempre será Deus, não há dúvida sobre isso. Nos dias em que o Senhor Jesus encarnou para realizar Sua obra, os fariseus insistiram com firmeza nas palavras: “Só Jeová é Deus; não há salvador além de Jeová”, porque não reconheceram que o Senhor Jesus era o tão esperado Messias. Eles não buscaram a verdade que o Senhor Jesus expressou, mas, ao contrário, resistiram e condenaram e conspiraram com o governo romano para crucificá-Lo, cometendo, assim, um pecado monstruoso. Por isso, eles receberam a maldição de Deus, trazendo cerca de 2000 anos de subjugação nacional a Israel. Vale a pena pensar com profundidade sobre o fracasso deles! A Bíblia diz: “… porque a letra mata, mas o espírito vivifica” (2 Coríntios 3:6). Então, se formos incapazes de entender as Escrituras com correção, compreendendo apenas seu sentido literal, se aqueles que creem em Jeová defenderem esse nome para sempre, e aqueles que creem no Senhor Jesus defenderem tal nome eternamente, e não entendermos o que significa Deus usar Seu nome para mudar de era, nós cometeremos o mesmo erro dos fariseus – agarrando-nos à antiga obra, condenando com cegueira a nova obra de Deus e, assim, perdendo essa nova obra e ficando apenas com o arrependimento.

Estes são os últimos dias e também o momento chave para receber a volta do Senhor. O Senhor Jesus profetizou que virá outra vez, portanto, o nome Dele ainda será o Senhor Jesus quando voltar? O livro do Apocalipse profetiza: “A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, donde jamais sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, da parte do meu Deus, e também o meu novo nome” (Apocalipse 3:12). Este versículo afirma com clareza que Deus terá um novo nome. Este novo nome nunca foi adotado antes, por isso ele é chamado de “novo”. Então, o nome de Deus mudará quando Ele voltar e não será mais o Senhor Jesus? Apocalipse 1:8 diz: “Eu sou o Alfa e o Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso.” E Apocalipse 11:16-17 diz: “E os vinte e quatro anciãos, que estão assentados em seus tronos diante de Deus, prostraram-se sobre seus rostos e adoraram a Deus, dizendo: Graças te damos, Senhor Deus Todo-Poderoso, que és, e que eras, porque tens tomado o teu grande poder, e começaste a reinar.Além desses versículos presentes no Apocalipse, ainda há muitos outros que mencionam o nome Todo-Poderoso”. De acordo com essas profecias, é altamente provável que o Senhor seja chamado de Todo-Poderoso quando retornar. Quando o nome de Deus sofre uma nova alteração, qual abordagem devemos tomar em relação ao Seu nome e como devemos receber o retorno do Senhor?

Por Zhou Yinuo

Veja também:

1-Significado do nome Deus: Quem revela o mistério no nome de Deus

2-O julgamento dos últimos dias de Deus é assim

3-Como se preparar para a vinda de Jesus?

Deixe uma resposta