Inscreva-se

Menu

Quando Jesus Cristo volta, mudará de forma?

Em 1994, eu aceitei o evangelho do Senhor Jesus. Naquela época, minha terceira irmã mais velha me deu uma Bíblia, e depois combinamos de participar de uma reunião no domingo. Naquele dia, assim que entrei na igreja, vi uma imagem retangular do Senhor Jesus Cristo: Ele tinha a aparência de um judeu e usava uma túnica branca, com longos cabelos loiros encaracolados se derramando sobre os ombros, olhos azuis, um nariz alto e um rosto gentil. Fiquei bastante espantada e pensei: Na verdade, o Deus em que acredito tem uma aparência judaica. Devido à minha busca zelosa, tornei-me uma pregadora rapidamente. Em um dia de sábado, quando chegou a minha vez de dar um sermão no púlpito, olhei para os crentes e disse com gentileza: “Irmãos e irmãs, é por causa do grande amor do Senhor que nós, pessoas pobres, fomos escolhidos em diferentes lugares. O Senhor Jesus é cheio de bondade e misericórdia, e Ele nos prometeu que viria novamente. Por favor, abram em Atos 1:11: ‘Varões galileus, por que ficais aí olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi elevado para o céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.’ Como todos sabemos, o Senhor Jesus subiu aos céus com um aparência judaica. Então, quando retornar, Ele de manifestará entre aqueles que creem Nele sinceramente com Sua aparência e roupas de judeu. Devemos nos apegar firmemente ao caminho do Senhor para acolher Seu retorno.” Todos os crentes assentiram concordando depois que ouviram isso. Com tal expectativa, eu buscava e servia com muito zelo. No entanto, eu nunca tinha visto o retorno do Senhor Jesus.

Mais tarde, a irmã Yang, na sua velhice, veio à nossa igreja. Durante nossas interações, descobri que ela era bastante espiritual. Por isso, muitas vezes comuniquei com ela sobre os versículos da Bíblia. Um dia, ela me disse: “Tenho boas notícias para você. O Senhor Jesus voltou, encarnado e está realizando uma nova obra na China.” Fiquei absolutamente abalada e perguntei: “Você disse que o Senhor Jesus voltou e está realizando uma nova obra na China. Então, como é a aparência Dele?” Ela respondeu com um sorriso: “É claro que Ele assumiu a aparência de um Chinês.” Eu disse: “Atos 1:11 diz: ‘Esse Jesus, que dentre vós foi elevado para o céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.’ O Senhor Jesus partiu em uma aparência judaica, quando retornar, Ele ainda se manifestará a todos os povos com essa mesma aparência. Como ele pode voltar como chinês? É impossível.” A irmã Yang disse: “Quanto a essa questão, podemos verificar quais as imagens que Deus assumiu quando apareceu ao homem no passado. De fato, na obra de Deus, Ele nunca apareceu ao homem com uma aparência fixa. Na Era da Lei, Deus apareceu a Abraão como um homem (referindo-se a Gênesis 18); e Ele também apareceu a Moisés na sarça ardente (referindo-se a Êxodo 3: 1-4). Na Era da Graça, embora Deus tenha se encarnado com o Senhor Jesus e realizado Sua obra na Judeia por muitos anos, Ele não pediu ao homem que memorizasse Sua aparência judia. Por exemplo, certa vez, o Senhor Jesus foi transfigurado diante de Seus discípulos, Seu rosto ficou brilhante como o sol, o que definitivamente não era uma imagem judaica. Depois que Ele foi pregado na cruz e ressuscitou, Sua aparência mudou, por isso, os dois discípulos a caminho de Emaús e Maria Madalena não O reconheceram. Diante disso, sabemos que a aparência de Deus está além da definição do homem. Vamos ler uma passagem das palavras de Deus Todo-Poderoso: ‘Deus, sendo o maior em todo o universo e no reino acima, poderia Ele Se explicar completamente utilizando a imagem de uma carne? Deus Se veste com essa carne para fazer um estágio de Sua obra. Não há um significado especial nessa imagem da carne, ela não tem relação com a passagem das eras, nem tem algo a ver com o caráter de Deus. […] Embora a imagem do homem tenha sido criada à imagem de Deus, teria sido possível a aparência do homem representar a imagem exaltada de Deus? Quando Deus Se torna carne, Ele simplesmente desce do céu para uma determinada carne. É o Seu Espírito que desce em uma carne, através da qual Ele faz a obra do Espírito. É o Espírito que é expresso na carne, e é o Espírito que faz Sua obra na carne. A obra feita na carne representa plenamente o Espírito, e a carne é para o bem da obra, mas isso não significa que a imagem da carne seja um substituto da verdadeira imagem do Próprio Deus; esse não é o propósito ou a importância de Deus Se tornar carne. Ele Se torna carne somente para que o Espírito possa encontrar um lugar para residir que seja adequado para Sua obra, para melhor realizar Sua obra na carne, para que as pessoas possam ver Seus feitos, entender Seu caráter, ouvir Suas palavras e conhecer a maravilha de Sua obra. Seu nome representa Seu caráter, Sua obra representa Sua identidade, mas Ele nunca disse que Sua aparência na carne representa Sua imagem; isso é meramente uma noção do homem. […] O retrato de Jesus foi pintado pelo homem para que o homem pudesse adorá-Lo. Na época, o Espírito Santo não deu instruções especiais, e assim o homem repassou aquele retrato imaginado até hoje. Na verdade, de acordo com a intenção original de Deus, o homem não deveria ter feito isso. É apenas o zelo do homem que fez com que o retrato de Jesus permanecesse até hoje. Deus é Espírito, e o homem nunca será capaz de abranger o que Sua imagem é em última análise. Sua imagem só pode ser representada por Seu caráter’ (de “A Palavra manifesta em carne”). Pelas palavras de Deus Todo-Poderoso, sabemos que Deus é o supremo Governante. Ele é o Espírito invisível, que é sem forma e sem aparência. Deus pode ascender ao lugar mais alto e também se humilhar para ser homem. Não importa como Ele apareça, Sua substância ainda é do próprio Deus. Quando Deus se torna carne para realizar Sua obra, Ele faz isso por causa das necessidades de Sua obra, não com o propósito de substituir a verdadeira imagem do próprio Deus com a imagem de Sua carne. A aparência de Sua carne não pode representar o caráter de Deus ou Sua verdadeira identidade. A imagem de Deus encarnado não tem nada a ver com a substância de Deus ou Sua verdadeira aparência. Somente por Sua obra e palavra podemos conhecer o caráter, a substância e a identidade de Deus, e que Ele é a verdade, o caminho e a vida. O homem não deve considerar a aparência da carne de Deus como a verdadeira imagem de Deus ou concluir que ‘como Ele tomou a imagem de um judeu, então ficará assim para sempre’. É uma blasfêmia, uma difamação contra Deus. Seja qual for a imagem que Deus tome para realizar Sua obra, isso é significativo. Quando Deus se torna carne, Ele assume a aparência das pessoas do país em que realizará Sua obra, pois é a melhor forma para elas entrarem em contato com Ele e para o progresso tranquilo de Sua obra na carne. Por exemplo, na Era da Graça, Deus se fez carne na Judéia e realizou a Sua obra entre os judeus, por isso, Ele tinha uma aparência judaica, usava a roupa dos judeus e falava hebraico. Desta forma, foi relativamente fácil para os judeus entrarem em contato com Ele e saber mais sobre Suas palavras e obra e assim receber Sua salvação. Da mesma forma, Deus se torna carne na China nos últimos dias, e assim Ele aparece como um chinês e fala chinês. Desta forma, é conveniente para o povo escolhido da China aceitar a obra de Deus e receber a verdade expressa por Ele. Se Deus, encarnado na China, ainda tivesse uma aparência judaica e falasse hebraico, os chineses não seriam capazes de entender Suas palavras, muito menos entenderiam a verdade expressa por Cristo. Nesse caso, a obra de salvação de Deus produziria algum resultado? Assim, é muito lógico que, onde quer que Deus se torne carne para realizar Sua obra, Ele assuma a aparência das pessoas para lá. Mas devemos saber que não importa em qual país Deus encarne e pareça com o povo, Sua substância ainda é do próprio Deus, que está além de qualquer dúvida. Como Deus Todo-Poderoso diz: ‘Embora a imagem que o corpo da carne assumiu na obra de hoje pareça ser completamente diferente da de Jesus, Eles derivam da mesma substância e raiz e vêm da mesma fonte. É possível que tenham várias diferenças externas, mas as verdades internas da obra Deles são totalmente idênticas. As eras, afinal, são tão diferentes quanto o dia e a noite. Assim, como pode a obra de Deus seguir um padrão inalterável? Ou como podem os estágios diferentes da Sua obra interromper um ao outro?’ (de “A Palavra manifesta em carne”)”

Ouvindo isso, percebi que essa comunhão era muito razoável e irrefutável, e descobri que o ponto de vista que preguei por muitos anos, que o Senhor Jesus voltaria com a aparência de um judeu, não tinha nenhum fundamento. Naquele momento, a irmã Yang continuou: “Não importa que imagem Deus tenha, onde Ele se manifeste, ou de que maneira Ele aparece ao homem, Deus ainda realiza Sua própria obra. O homem não deve confinar Deus dentro de uma compreensão limitada ou dentro de suas noções e imaginações, pensando que Deus certamente irá reaparecer à imagem do Senhor Jesus. Devemos sair de nossas próprias noções e imaginações para buscar e investigar a verdade, pois, somente assim, veremos a aparência de Deus e verdadeiramente acolheremos o retorno do Senhor. Vamos ler outra passagem das palavras de Deus Todo-Poderoso: ‘O objetivo da aparição de Deus, livre das restrições de qualquer forma ou nação, é permitir que Ele possa completar a obra como a planejou. Isso é igual a quando Deus Se tornou carne na Judeia; Seu objetivo era completar a obra da crucificação para redimir toda a raça humana. No entanto, os judeus acreditavam que era impossível para Deus fazer isso, achavam impossível que Deus pudesse Se tornar carne e assumir a forma do Senhor Jesus. O “impossível” deles tornou-se a base na qual condenaram Deus e se opuseram a Ele e, por fim, levou à destruição de Israel. Muitas pessoas, hoje, cometeram um erro semelhante. Elas proclamam com todas as forças a aparição iminente de Deus, mas, ao mesmo tempo, condenam Sua aparição; o “impossível” delas mais uma vez restringe a aparição de Deus aos limites da imaginação delas. […] Deixe de lado suas noções! Aquiete-se e leia estas palavras cuidadosamente. Se você anseia pela verdade, Deus o iluminará e você entenderá Sua vontade e Suas palavras. Deixem de lado suas opiniões sobre o “impossível”! Quanto mais as pessoas acreditam que algo é impossível, mais provável é que isso ocorra, pois a sabedoria de Deus se eleva acima dos céus, os pensamentos de Deus são mais elevados que os pensamentos do homem e a obra de Deus transcende os limites do pensamento e das noções do homem. Quanto mais algo for impossível, mais há verdade para ser buscada; quanto mais algo estiver além das noções e da imaginação do homem, mais irá conter a vontade de Deus’. (de “A Palavra manifesta em carne”)” As palavras de Deus Todo-Poderoso sacudiram meu coração. Eu não assumiria mais o pensamento de que o Senhor Jesus retornaria na aparência de um judeu.

Mais tarde, a irmã Yang comungou comigo algumas palavras expressas por Deus Todo-Poderoso: “A essência da carne habitada por Deus” “As duas encarnações completam o significado da encarnação” “Deus é o Senhor de toda a criação” “A Era do Reino é a Era da Palavra” e assim por diante. Com o suprimento inesgotável das palavras de Deus Todo-Poderoso, eu entendo cada vez mais verdades e sinto a grande riqueza do que Deus tem e é. Antes de Deus, o homem é apenas um punhado de pó. Como ser criado, o homem não pode compreender a sabedoria e a maravilha da obra de Deus, muito menos definir a verdadeira imagem Dele. Então, devemos buscar e investigar mais sobre o retorno de Deus à carne.