Inscreva-se

Menu

Estudo sobre oração: Resolvendo os três problemas da oração

 

Irmãos e irmãs:

A paz do Senhor! Hoje, o tópico de nossa comunhão é “três problemas que devemos resolver na oração”. Que o Senhor guie nossa comunhão. Nós todos irmãos e irmãs sabemos que a oração é a senda para estabelecer um relacionamento normal com Deus. Todos esperamos que nossas orações sejam ouvidas e aceitas, mas hoje em dia muitos irmãos e irmãs estão atribulados pelo fato de que suas orações não são ouvidas e aceitas. Então, como devemos orar de acordo com a vontade de Deus, e quais problemas devemos resolver em nossas orações para que o Senhor as ouça?

1. Devemos resolver o problema de falar de modo pretensioso, não prático e enganoso quando oramos

Em nosso dia a dia, quando oramos ao Senhor, com frequência dizemos coisas que são falsas, exageradas ou vazias, então Ele oculta Sua face e não escuta. Por exemplo, quase sempre dizemos em nossas orações: “Senhor, sei que todas as coisas no mundo são imundas, e que somos simples hóspedes e estrangeiros nesta terra. Desejo amar-Te e satisfazer-Te”. Entretanto, em nossas vidas, ainda não conseguimos abrir mão de coisas mundanas como riqueza, reputação e status, e até as perseguimos de modo ativo. Às vezes, oramos ao Senhor e dizemos: “Deus, desejo ser um servo fiel, e servir-Te com todo meu coração, mente e força”. Mas em nosso trabalho, quando encontramos dificuldades que não sabemos como resolver, reclamamos da dificuldade e dureza. Também dizemos com frequência em nossas orações: “Senhor, desejo carregar a cruz e seguir-Te”. Ainda assim, quando grandes provações vêm sobre nós, como doença ou aprisionamento, nosso coração produz reclamações, e culpamos o Senhor por não proteger nossa segurança. Essas orações não são práticas. Não são palavras de nossos corações, então o Senhor não as aceita. O Senhor Jesus disse: “Deus é Espírito, e é necessário que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade” (João 4:24). A partir disso, podemos ver que o Senhor exige que sejamos pessoas honestas e que falemos de modo prático e sincero com Ele. Não devemos falar com pretensão ou dizer coisas irreais, caso contrário, estamos enganando ao Senhor e faremos com que Ele nos despreze. Então, quando oramos, devemos praticar falar com o Senhor a partir do coração, de modo realista, e esquecer as palavras falsas e hipócritas. Não devemos nos importar com quanto falamos ou quão bem falamos, mas sim se oramos ao Senhor sinceramente. Por exemplo, conforme trabalhamos para o Senhor, também podemos desejar perseguir coisas mundanas e riqueza em nossos corações, então devemos falar com honestidade ao Senhor e pedir-Lhe que nos guie e ajude a nos dedicarmos com sinceridade a Ele. Se encontramos dificuldades, devemos ser verdadeiros com o Senhor: “Deus, estou tendo dificuldades agora mesmo, estou fraco, desejo amar-Te, mas não encontro forças, então Te peço para mover meu coração e não permitir que minhas dificuldades me enfraqueçam”. Depois disso, devemos cooperar ativamente com Deus e confiar com sinceridade Nele. Quando cometemos erros que ofendem ao Senhor ou quando entendemos mal as provações de Deus, devemos ainda mais explicar honestamente a corrupção que expomos, nossos verdadeiros pensamentos e nossas dificuldades a Ele, e assim por diante. O que dizemos quando oramos ao Senhor deve ser sincero e verdadeiro, porque desse modo, seremos sempre íntimos com Deus e Ele ouvirá nossas orações. Dessa forma, nosso conhecimento de Deus crescerá ainda mais e o faremos continuamente na vida.

2. Devemos resolver o problema de passar por processos, sem prestar atenção e não nos aquietarmos diante de Deus quando oramos

Hoje, muitos de nossos irmãos e irmãs se concentram apenas no processo externo ao orar, e não o estão fazendo ficando tranquilos diante de Deus. Considere que você está ocupado no trabalho e temeroso de estar atrasado para trabalhar de manhã; em uma tentativa de obter mais tempo, você balbucia uma oração meia-boca a Deus. Essas orações são uma forma de cumprir uma rotina, meramente por fazê-lo. Ou, quando dizemos orações nas reuniões e ouvimos outra pessoa orar por um longo tempo ou falar muito, enquanto nós mesmos não temos muito a dizer, tememos que seremos desprezados se orarmos menos que os demais, então, quando é nossa vez de orar, imitamos a outra pessoa e falamos um monte, algumas vezes até repetindo coisas que a outra pessoa disse. Essas orações são feitas para que as outras pessoas vejam, não são ditas tranquilamente diante de Deus. O Senhor Jesus nos disse: “Mas tu, quando orares, entra no teu quarto e, fechando a porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará” (Mateus 6:6). A palavra do Senhor nos diz que devemos ter um coração calmo e tranquilo quando oramos diante de Deus, e que não devemos estar sob a influência de qualquer pessoa, questão ou coisa. Por exemplo, podemos estar correndo para trabalhar de manhã, mas enquanto aguardamos pelo ônibus, podemos acalmar nosso coração e ir tranquilamente diante do Senhor. Também podemos fazê-lo em nossos corações enquanto andamos de ônibus ou enquanto estamos sentados no escritório. Orar dessa forma não nos requer obedecer nenhuma regra, apenas que nos aproximemos com o Senhor e alcancemos o resultado de não sair de diante Dele. Além disso, quando oramos nas reuniões, não devemos tentar fazer com que os outros nos admirem quando oremos ou nos importar com como as outras pessoas nos veem; devemos apenas buscar ir tranquilamente diante de Deus e abrir nossos corações a Ele e aceitar o movimento do Espírito Santo. Quando fazemos isso, não estamos simplesmente cumprindo uma rotina e Deus nos ouvirá.

3. Devemos resolver o problema de ter desejos extravagantes e sempre buscar por nós mesmos quando oramos

Como cristãos, todos sabemos que não podemos fazer exigências extravagantes para Deus, mas porque abrigamos a intenção de ganhar bênçãos, com frequência fazemos exigências a Ele sem perceber, pedindo coisas extravagantes para satisfazer todos os tipos de desejos. Por exemplo, para colocar nossas crianças em uma escola melhor, podemos orar: “Deus, as provas de meu filho são daqui alguns dias. Confio meu filho a Ti e Te peço que lhe conceda inteligência e sabedoria para que tire boas notas na prova e possa ser bem-sucedido no futuro”. Aqueles que fazem negócios podem orar: “Deus, confio meu negócio a Ti, peço por Tua proteção e cuidado, que Tu abençoes o sucesso de meu negócio e mostre aos gentios os milagres que podes fazer, o que também me permite libertar-me da escassez material”. Aqueles que trabalham e se esforçam na igreja podem orar: “Senhor, agora que sirvo e me esforço por Ti, peço que abençoes minha família com um negócio bem-sucedido, de modo que eles não tenham falta de comida ou roupas”. Orações como essas todas contêm nossos próprios desejos extravagantes. Todas elas exigem que Deus faça isso ou aquilo de acordo com nossos desejos. Somos seres criados e devemos ser racionais diante do Criador. Devemos ter corações que temem a Deus e não exigir que Ele aja de acordo com nossos desejos. E o Senhor Jesus também nos disse: “Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que havemos de comer? ou: Que havemos de beber? ou: Com que nos havemos de vestir? (Pois a todas estas coisas os gentios procuram.) Porque vosso Pai celestial sabe que precisais de tudo isso. Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6:31-33). O Senhor Jesus nos ensinou que não devemos nos preocupar com o que comeremos ou como nos vestiremos. Não devemos buscar essas coisas do Senhor, porque Ele preparará e arranjará tudo do que necessitamos materialmente. Ele exige isto de nós: “Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”. Isso significa que devemos orar primeiro para o reino de Deus e Sua justiça, porque Ele aceita este tipo de oração. Considere que todos nós sabemos que vivemos nos últimos dias e conhecemos as profecias que dizem que Ele virá novamente, então devemos orar mais para que o reino de Deus venha logo à Terra, porque como é dito: “Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu” (Mateus 6:10). Devemos orar pela orientação de Deus para sermos virgens sábias e conseguirmos dar as boas-vindas ao Senhor quando ouvirmos notícias de Sua volta. Também devemos orar para escaparmos de nossa corrupção e pela purificação. Orações como essas, para obter a verdade e a vida, todas serão ouvidas pelo Senhor.

Finalmente, gostaria de compartilhar com vocês duas passagens que li em um site evangélico. “O que é a oração verdadeira? É contar a Deus o que está dentro do seu coração, comungar com Deus ao captar Sua vontade, comunicar-se com Deus por meio de Suas palavras, sentir-se particularmente próximo de Deus, sentir que Ele está diante de você e crer que você tem algo a dizer a Ele. Seu coração parece cheio de luz e você sente como Deus é amável. Você se sente especialmente inspirado, e ouvir você traz gratificação aos seus irmãos e irmãs. Eles sentirão que as palavras ditas por você são as palavras que estão no coração deles, as palavras que eles desejam dizer, como se as suas palavras substituíssem as deles. É isso o que significa verdadeira oração. Depois de ter se envolvido em verdadeira oração, seu coração estará em paz e conhecerá a gratificação. A força para amar a Deus pode elevar-se, e você sentirá que nada tem mais valor e significância na vida do que amar a Deus. Tudo isso prova que suas orações foram eficazes.” “Ao orar, seu coração deve estar sereno perante Deus e ser sincero. Você está comungando e orando verdadeiramente com Deus; não deve tentar enganá-Lo com palavras que soam bem. A oração deveria ser centrada em torno daquilo que Deus deseja realizar agora. Peça a Deus que lhe conceda mais esclarecimento e iluminação; coloque seu estado atual e seus problemas em Sua presença ao orar, incluindo a resolução que fez perante Ele. Orar não é seguir um procedimento, mas buscar a Deus com um coração sincero. Peça a Deus que proteja seu coração, a fim de que esteja constantemente sereno perante Ele; para que, no ambiente em que Ele o colocou, você se conheça, despreze a si mesmo e se abandone, permitindo, assim, que tenha um relacionamento normal com Deus e verdadeiramente se torne alguém que ama a Deus” (“Acerca da prática da oração”).

Graças ao Senhor. As orações são nossa ponte espiritual de comunicação com Deus e, contanto que oremos ao Senhor com um coração sincero e honesto, satisfazendo Sua vontade, Ele aceitará e ouvirá nossas orações. Graças ao Senhor por eu ser capaz de comunicar isto com vocês hoje. Amém!

Veja também:

Oração a Deus – Essa oração é tão boa