Inscreva-se

Menu

Pregação: Como trilhar a senda do temor a Deus?

Como trilhar a senda do temor a Deus?

Eu creio no Senhor há muitos anos. No passado, eu normalmente orava e lia a Bíblia, colocava meu esforço no trabalho para o Senhor, sofria e pagava o preço. Além disso, eu era tolerante e paciente com os outros, e não infringia as leis nem andava na senda mundana. Logo, eu pensava que tinha sido santificado do mundo e que reverenciava a Deus, e que certamente ganharia a aprovação e as bênçãos do Senhor. Recentemente, li um testemunho em um livro sobre a verdade de temer a Deus, e aprendi muito com isso. Somente então reconheci que meu conhecimento deste aspecto da verdade era muito raso, e que eu realmente não entendia a verdade sobre temer a Deus, muito menos tinha um coração temente a Deus. Aqui, eu gostaria de compartilhar com você três sendas de prática para temer a Deus. Espero que depois de lê-las, nós possamos todos trilhar a senda do temor a Deus.

1. Deve estar claro para nós que Deus vê profundamente em nosso coração e observa tudo. Ore para Deus com um coração honesto, permitindo que Ele olhe para nós, e viva diante Dele com um coração reverente a Deus.

O Senhor Jesus disse: “Deus é Espírito, e é necessário que os que O adoram O adorem em espírito e em verdade” (João 4:24). Em Salmos da Bíblia, está escrito: “porventura Deus não haveria de esquadrinhar isso? pois ele conhece os segredos do coração” (Salmos 44:21). Deus observa as profundezas de nosso coração e Ele conhece nossos pensamentos e ideias como a palma de Sua mão. Logo, devemos aceitar o olhar do Espírito de Deus em todos as coisas e dar nosso coração a Ele, permitindo que Ele seja o mestre e tomador de decisões. Ao orar, devemos ser honestos e falar as palavras de nosso coração para Deus para assim termos uma comunhão verdadeira com Ele. Deus observa as partes mais profundas de nosso coração; quando Ele vê que nós realmente O desejamos e buscamos a verdade, o Espírito Santo opera em nós, nos iluminando, nos esclarecendo e nos guiando. Mas se apenas falarmos palavras bonitas para obter boas graças de Deus ou dissermos falsidades para enganá-Lo, com certeza seremos abandonados pelo Espírito Santo, e aqueles que enganam a Deus frequentemente serão, enfim, odiados e eliminados por Ele. As pessoas de Nínive e os fariseus são dois exemplos que podemos usar para comparar. Quando as pessoas de Nínive ouviram Jonas pregando as palavras de Deus, arrependeram-se diante de Deus com panos de sacos e cinzas; vendo o arrependimento sincero delas, Deus estendeu a Sua misericórdia e as poupou da catástrofe. Quanto aos fariseus, eles oravam nas esquinas das ruas em frente às multidões, tentando fazer os outros verem quão piedosos e fiéis eles eram. Mas qual foi o resultado? O Senhor Jesus os abominou e os chamou de hipócritas, dizendo: “Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios; o seu coração, porém, está longe de mim; mas em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens” (Marcos 7:6-7).

Portanto, se quisermos alcançar a reverência a Deus, devemos ficar diante de Deus e orar com um coração honesto, permitindo que Ele veja nosso coração, e nunca enganar nem esconder algo Dele. Somente assim nós podemos alcançar a glória de Deus. Este é o primeiro princípio para atingir a revência a Deus.

2. Devemos conhecer os mandamentos de Deus e buscar a verdade para ter conhecimento verdadeiro sobre o caráter de Deus e desenvolver um coração temente a Deus.

A Bíblia diz: “O temor do Senhor é o princípio sabedoria; e o conhecimento do Santo é o entendimento” (Provérbios 9:10). “O que despreza a palavra traz sobre si a destruição; mas o que teme o mandamento será galardoado. O ensino do sábio é uma fonte devida para desviar dos laços da morte”(Provérbios 13:13-14). Para ter a reverência verdadeira a Deus, nós devemos conhecer os mandamentos de Deus e compreender claramente o que podemos fazer e o que não podemos. Através da busca da verdade no processo de entendimento dos mandamentos de Deus, teremos o conhecimento verdadeiro do caráter inofendível de Deus, e então desenvolveremos um coração que realmente teme a Deus.

Depois que o Rei Davi cometeu adultério, Natã transmitiu as palavras de Deus para ele. Ao ouvi-las, Davi sentiu remorso e se odiou, e imediatamente confessou o seu pecado diante de Deus. Mas por ter ofendido o caráter de Deus, a espada nunca mais saiu de sua casa. É claro de se ver, Deus é justo com todos, sem qualquer sentimentos pessoais. Então, mesmo se a pessoa que ofendeu o caráter de Deus é usada por Deus e amada por Deus, ela ainda assim será punida. Sabendo que o caráter de Deus não pode ser ofendido por ninguém, Davi teve reverência verdadeira por Deus e se arrependeu verdadeiramente. Logo, quando seus servos trouxeram uma menina israelita para ajudar a mantê-lo aquecido na velhice, Davi não se aproximou dela. Portanto, nós devemos colocar uma certa quantidade de esforço para entender os mandamentos de Deus. Somente quando tivermos o conhecimento do caráter justo de Deus, que é intolerante à ofensa do homem, poderemos desenvolver um coração que teme a Deus. É este coração temente a Deus que pode nos proteger de fazermos o mal e ofendermos o caráter de Deus.

3. Devemos prestar atenção nas intenções de Deus em tudo, orar para Ele e buscar a Sua vontade frequentemente, e mostrar consideração por Sua vontade e obedecer a Ele completamente.

A Bíblia diz: “Bom é o Senhor para os que esperam por ele, para a alma que o busca” (Lamentações 3:25). Em nossa vida, nós normalmente encontramos algumas pessoas, assuntos e coisas inesperadas, e o trabalho de Deus geralmente não se conforma com nossas concepções e imaginações. Neste momento, precisamos esperar silenciosamente diante de Deus com um coração devoto, e prestar atenção ao buscar e ponderar sobre as intenções e exigências de Deus nas pessoas, eventos e coisas feitas por Ele, nos esforçando para agir exatamente de acordo com a vontade e as exigências de Deus.

Quando não entendemos a vontade de Deus, nunca devemos reclamar Dele por qualquer motivo, pois assim pecamos com nossa boca e O ofendemos. Tomemos como exemplo Jó, a quem nós conhecemos. Ao encontrar as provações de perder sua propriedade e seus filhos, e seu corpo ficar coberto de feridas, ele não pecou com seus lábios nem nutriu qualquer suspeita, julgamento, nem reclamou de Deus; em vez disso, ele rasgou o seu robe, raspou a cabeça, e se prostrou diante de Deus, esperando e buscando a vontade Dele. No final, ele disse as palavras que honraram a Deus e louvou a Ele: “E disse: Nu saí do ventre de minha mãe, e nu tornarei para lá. O Senhor deu, e o Senhor tirou; bendito seja o nome do Senhor” (Jó 1:21). dando ressoante testemunho de Deus diante de Satanás e obtendo a aprovação de Deus. Seus três amigos, entretanto, ao verem a sua situação, não buscaram a vontade de Deus nem tiverem a mínima reverência por Deus, mas julgaram arbitrariamente Jó de acordo com suas próprias concepções e imaginações, dizendo que Jó devia ter ofendido a Deus e por isso foi punido por Ele. Devido à ignorância, teimosia e absurdos, eles foram odiados por Deus.

Deus observa as profundezas de nosso coração e Seu caráter justo e santo não tolera as ofensas do homem. Ele conhece cada um de nós como a palma de Sua mão. Ele conhece a estatura de cada um, e mais ainda, conhece que tipo de ambiente é benéfico para o progresso de nossa vida. Apesar de Ele permitir que muitas coisas, que não combinam com nossas noções, recaiam sobre nós, Sua intenção é nos salvar. Nós devemos buscar as intenções de Deus em todos os assuntos, abandonar nossas concepções e imaginações, e renunciar à nossa própria carne para obedecer e satisfazer a Deus. Isso é demonstrar um coração temente a Deus. Aqueles que são tementes a Deus são muito mais devotos e honestos do que as pessoas comuns. Ao fazerem as coisas, eles mantêm a discrição e agem com prudência, sem arrogância, temendo pecar contra Deus. Tais pessoas podem viver diante de Deus a qualquer momento, se aproximar de Deus em seu coração, e com frequência obtêm a orientação de Deus, assim como o Seu cuidado e Sua proteção, para que consigam andar na senda na qual Deus as guia.

Eu acredito que se nos concentrarmos em treinar e praticar de acordo com as várias sendas acima, nós poderemos trilhar a senda da reverência a Deus e nos tornar pessoas tementes a Deus.