Inscreva-se

Menu

Templo de Jerusalém | A revelação que nos foi dada pela destruíção do templo

Logo no início de minha formação espiritual, eu li essa passagem na Bíblia: “E quando chegou perto e viu a cidade, chorou sobre ela, dizendo: Ah! se tu conhecesses, ao menos neste dia, o que te poderia trazer a paz! mas agora isso está encoberto aos teus olhos. Porque dias virão sobre ti em que os teus inimigos te cercarão de trincheiras, e te sitiarão, e te apertarão de todos os lados, e te derribarão, a ti e aos teus filhos que dentro de ti estiverem; e não deixarão em ti pedra sobre pedra, porque não conheceste o tempo da tua visitação. Então, entrando ele no templo, começou a expulsar os que ali vendiam, dizendo-lhes: Está escrito: A minha casa será casa de oração; vós, porém, a fizestes covil de salteadores. E todos os dias ensinava no templo; mas os principais sacerdotes, os escribas, e os principais do povo procuravam matá-lo; mas não achavam meio de o fazer; porque todo o povo ficava enlevado ao ouvi-lo” (Lucas 19:41-48). Depois de ler essa passagem, não pude deixar de me lembrar da destruição do templo em Jerusalém dois mil anos antes: no ano de 70 d.C, o general Tito de Roma atacou Jerusalém com o exército romano, o templo foi incendiado, e os israelitas foram chacinados pelos soldados romanos. Isso não cumpriu a profecia dessa passagem?

Jesus Purifica o Templo

Na verdade, antes que o Senhor Jesus encarnasse para realizar Sua obra, o templo já estava desolado e havia “colapsado”. A primeira razão para isso é que os líderes judeus não obedeciam aos mandamento de Jeová, mas se desviavam do caminho de Deus, e usavam as tradições e as regras dos antepassados para instruir as pessoas em todas as coisas, como, por exemplo, “lave suas mãos com cuidado ou você não poderá comer, o que também não poderá fazer, se não se banhar depois de chegar do mercado”. Eles seguiam essas tradições e regras dos antepassados como se fossem palavra de Deus. Na maioria dos dias, eles se colocava nos altos púlpitos, explicando as leis para as pessoas, fazendo longas orações, e até escrevendo as escrituras nas barras de suas vestes, para parecerem pessoas boas. Contudo, seus corações estavam cheios de maldade. Além de matarem os profetas enviados por Jeová, eles devoravam as propriedades das viúvas, por isso Deus disse: “Este povo honra-me com os lábios; o seu coração, porém, está longe de mim” (Marcos 7:6). “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas por dentro estão cheios de ossos e de toda imundícia” (Mateus 23:27). O Espírito Santo já os tinha abandonado, assim, eles transformaram o templo em um lugar de comércio de gado, ovelhas e pombos e de troca de dinheiro, e, inclusive, em um covil de ladrões, por isso, não existiam nada da disciplina do Espírito Santo. Sem a obra do Espírito Santo, o templo já tinha perdido seu valor e significado.

Quando o Senhor Jesus começou a Sua obra, em especial, os fariseus se recusaram ou examinar os sermões do Senhor. Ao contrário, para preservarem seu status e posições, eles inventaram todo tipo de mentiras e condenaram e resistiram sem escrúpulos ao Senhor Jesus, e, ainda, incitaram as pessoas a rejeitarem o Senhor. Eles também se aliaram ao governo romano e crucificaram o benevolente Senhor Jesus. Eles talvez estivessem servindo a Deus, mas, na verdade, eram anticristos que resistem a Ele. Como poderia o Senhor Jesus, que era santo, pregar em tal templo depois de vir?

Outra razão é que a obra do Espírito Santo mudou, o Senhor Jesus encarnado realizou Sua obra para redimir a humanidade fora do templo, e obra de Deus progrediu sobre a base de Sua obra na Era da Lei. O Senhor Jesus iniciou a Era da Graça e encerrou a Era da Lei. Aqueles que aceitaram a obra de redenção do Senhor Jesus, como Pedro e João, ganharam a obra do Espírito Santo, tiveram uma nova senda de prática e receberam a salvação de Deus.Mas os fariseus, que permaneceram no templo, e rejeitaram, desafiaram e condenaram o Senhor, foram naturalmente abandonados pela obra de Deus, e só poderiam cair nas trevas e na desolação, enquanto passavam seus dias diante do altar. Dito isso, não posso deixar de pensar que minha própria igreja está desolada ao ponto de meus irmãos e irmãs adormecerem durante as reuniões. Muitas pessoas ainda usam a igreja como um lugar para comprar e vender, para promover produtos, para reunir e conversar sobre oportunidades de negócios, e alguns de nossos pastores e presbíteros não temem a Deus em seus corações. Eles usam a igreja como um local de troca para buscar lucro e dinheiro, uma plataforma para brigar e lutar por seus próprios interesses. Quando pregam, eles também desconstroem as palavras do Senhor de acordo com seus próprios significados. Eles, inclusive, obedecem às palavras de Paulo como se fossem de Deus, usando as palavras do homem para anular as palavras de Deus. Eles não têm a menor comunhão com a vontade prática de Deus, e as reuniões são ritos vazios, que simplesmente passam pelos processos. Eles perderam a obra do Espírito Santo há muito tempo.

Eu refleti sobre palavras do Senhor Jesus e sei que Ele voltará. Dada a desolação da igreja atual, é bem possível que o Senhor já tenha retornado. Não devemos nos sentar e esperar pela morte. Devemos buscar a obra do Espírito Santo e seguir os passos de Deus, porque Ele nos advertiu: “Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos sete pecados, e para que não incorras nas suas pragas” (Apocalipse 18:4). “Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vá” (Apocalipse 14:4).