Inscreva-se

Menu

Pequena história: Abra mão de si mesmo e esteja aberto a vozes diferentes

Coruja

Há uma coruja na floresta chamada Dada. Após dar à luz a cinco filhos fofos, Dada decide encontrar um buraco maior para que seus filhotes possam crescer saudáveis e felizes. Finalmente, ela encontra uma grande árvore no meio da floresta.

A amiga de Dada, Benben, sugere que ela não deve fazer sua casa ali, porque uma raposa macho vive debaixo da árvore. Na floresta, é muito perigoso ser vizinha de uma raposa. Contudo, Dada desconsidera esse conselho. Ela acredita que as atividades da raposa só podem ser debaixo da árvore, apesar dele ser assustador. Já que ela e seus filhotes vivem no topo da árvore, não haverá perigo. Então, Dada não toma o conselho de Benben.

Então, Benben diz, “Se você precisa se mudar para a árvore, é melhor você escolher o buraco da direita como sua casa, porque está mais longe da casa da raposa e mais reservado. Viver aí será mais seguro para seus filhotes.” Mas Dada nega a sugestão de Benben novamente. Ela acha que o buraco da esquerda tem mais sol e mais espaço, então porque ela rejeitaria o bom e aceitar o ruim? No final, Dada se muda para o buraco da esquerda com seus filhotes.

Numa noite de tempestade, Dada não voltou após buscar alimentos por muito tempo fora. As crias que esperam ansiosamente colocam suas cabeças para fora e buscam ao redor por sua mãe, ninguém conseguindo perceber a raposa babando debaixo da árvore. De repente, bate um vento. Os pequenos filhotes são soprados para fora do buraco e caiem bem na frente da raposa, vendo a luz cruel em seus olhos…

É de se esperar que quando a Dada retornar e descobrir que seus filhotes se tornaram janta da raposa, ela deve se arrepender terrivelmente por sua arrogância original e ego, que contribuíram para a tragédia seguida da rejeição das sugestões de Benben.

A Bíblia diz: “Este é o mal que há em tudo quanto se faz debaixo do sol: que a todos sucede o mesmo. Também o coração dos filhos dos homens está cheio de maldade; há desvarios no seu coração durante a sua vida, e depois se vão aos mortos” (Eclesiastes 9:3) “Quanto ao soberbo e presumido, zombador é seu nome; ele procede com insolente orgulho” (Provérbios 21:24).

Na vida real, existem muitas vezes em que, como Dada, somos dominados por nossa natureza arrogante e então desconsideramos ou rejeitamos os pontos de vista de outras pessoas que discordam conosco. Nunca consideramos se seus conselhos são razoáveis ou se o que insistimos está certo. Se o que eles sugerem está certo, mas nós não conseguimos abrir mão de nossa arrogância e vaidade e aceitar humildemente, então no final vamos sofrer com perdas.

O Senhor Jesus disse uma vez:Porque todo o que a si mesmo se exaltar será humilhado, e aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado(Lucas 14:11). Deus aceita aqueles que conseguem se humilhar e escutar bem à sugestões. Quanto mais uma pessoa está disposta e se tornar humilde, mais Deus se contentará com ela, e mais as pessoas irão amá-la e respeitá-la Mas o ponto de vista corrompido da humanidade vê que ser adorado e admirado pelos outros é glória, mas se submeter aos outros é vergonha. Então, sendo corrompidos por essa visão, nossa natureza se torna cada vez mais arrogante e egoísta. Nós tornamos enfatuados, orgulhosos, e arrogantes, e não gostamos que os outros tenham vantagem. De fato, ouvir o conselho correto com um coração humilde não é uma manifestação de incompetência ou ignorância; é uma precondição para o progresso.

A habilidade de uma pessoa é limitada não importa quão alta seja. Assim como diz o ditado chinês, “Muitas mãos tornam o trabalho leve,” podemos alcançar grande progresso somente se somos capazes de ouvir às sugestões propícias e aprender com os pontos de vista fortes dos outros para compensar nossas próprias fraquezas.

Por Lin Lan

Leia Mais: Histórias Inspiradoras

Como deixar de lado nossas grande demandas ao destino?