Inscreva-se

Menu

Espiritualidade cristã: como ser um verdadeiro cristão?

Nesta realidade mundana e no vasto oceano da humanidade, é por causa da seleção e bênçãos do Senhor que podemos ser afortunados em tornar-nos cristãos. E ser um deles nos faz sentir gloriosos e orgulhosos. Essa palavra, “cristão”, como sugerido, se refere a todos os crentes que acreditam, aceitam e seguem a Cristo depois que Deus veio à terra e executou Sua obra. É fácil entender seu significado superficial. Mas o que precisamos fazer para sermos verdadeiramente chamados de cristãos qualificados e sermos aprovados pelo Senhor? Esse é o problema com o qual muitos de nós estamos preocupados, creio eu.

O Senhor Jesus disse certa vez: “Respondeu-lhes Jesus: Em verdade vos digo que ninguém há que tenha deixado casa, ou mulher, ou irmãos, ou pais, ou filhos, por amor do reino de Deus, que não haja de receber no presente muito mais, e no mundo vindouro a vida eterna” (Lucas 18: 29-30). Depois de ler as palavras do Senhor, muitas pessoas consideraram como critérios para ser um cristão qualificado, pensando que qualquer um que consegue aceitar a comissão do Senhor e pregar mais o evangelho e produzir mais frutos, ou servi-Lo durante toda a vida para pregar e trabalhar duro, assim como pastorear a igreja, era exatamente um cristão devoto, e que eles seriam com certeza aprovados pelo Senhor. Esse entendimento está de acordo com a vontade do Senhor? Ele disse: “Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim. E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim” (Mateus 10:37-38). Ao contemplar as palavras do Senhor, vi a vontade Dele de nos permitir renunciar a tudo e segui-Lo. Ele não apenas exige que tenhamos bons comportamentos no exterior, mas ainda mais importante, espera que nosso coração se volte para Ele e que possamos ter fé verdadeira Nele. Apenas quando renunciamos e desistimos de tudo que pertence à carne e ao mundo, obedecemos às palavras do Senhor e perseguimos a verdade e o amor a Ele, é que podemos ser aprovados. Apenas essas pessoas podem ser chamadas de discípulos do Senhor. É óbvio que, na questão de seguir o caminho do Senhor e buscar ser aprovado por Ele, se não pudermos ter um entendimento abrangente e não adulterado, e sentirmos o verdadeiro significado das palavras do Senhor, entenderemos mal Sua vontade. Enquanto isso, confiaremos em nosso pensamento ilusório e nossos próprios pontos de vista para crer em Deus, e nesse tempo, até pensaremos que trilhamos o caminho de seguir a vontade Dele, e que seremos aprovados e abençoados por Ele. Assim, é fácil que exijamos recompensas de Deus.

O Senhor nos advertiu: “Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então lhes direi claramemnte: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade” (Mateus 7: 22-23). A partir dessas palavras, podemos ver que muitos que creram no Senhor puderam se esforçar e trabalhar por Ele externamente, e até fizeram muitas boas ações; então, porque o Senhor os marcou como malfeitores? O motivo foi que havia intenções e propósitos egoístas por trás de seus esforços e trabalhos exteriores, ou seja, o motivo pelo qual se esforçaram e trabalharam externamente não foi para obedecer e amar ao Senhor de verdade, mas para fazer um acordo com Deus e esforçar-se pelas bênçãos do reino dos céus. Assim como aqueles fariseus judeus do passado, de geração a geração, eles creram e serviram a Deus e pregaram e se sacrificaram por Ele. Por fora, eram devotos e também fizeram muitas boas ações, que também eram elogiadas e adoradas por outros. Entretanto, em seus corações, não amavam a verdade, mas a fama e o status, e gostavam de se colocarem acima dos outros e serem adorados por outros. Havia intenções e propósitos egoístas em sua obra por Deus, e eles estavam envolvidos apenas em seus próprios interesses! Quando o Senhor Jesus veio executar a nova obra, muitas pessoas O seguiram. Entretanto, vendo essa cena, os fariseus ficaram cheios de ódio por aqueles que seguiam ao Senhor, por temer que perderiam sua fama e status no coração das pessoas assim como seu sustento; eles tentaram todas as formas para inventar rumores e difamar ao Senhor Jesus. Eles não perseguiram a verdade e entender a vontade do Senhor nas palavras e obra Dele, mas condenaram, resistiram e blasfemaram ao Senhor de acordo com suas próprias noções e imaginações, e no final, foram detestados, rejeitados e amaldiçoados por Ele. Para pessoas como eles, não importa quantas boas ações fizeram externamente, nenhum deles contou aos olhos de Deus e Ele jamais os reconheceu como aqueles que O seguiam de verdade.

O Senhor disse: “Dizia, pois, Jesus aos judeus que nele creram: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sois meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8: 31-32). Apenas quando buscamos e aceitamos, assim como praticamos as palavras do Senhor é que os propósitos equivocados e impurezas em nós podem ser pouco a pouco modificados e substituídos. Apenas dessa forma, podemos nos livrar de nossas visões que pertencem ao mundo e filosofia da vida, assim como das regras satânicas, e então as palavras de Deus podem se tornar princípios de nossa conduta e orientação em nossas vidas, de forma que podemos pouco a pouco nos livrar dos laços do pecado e obter nova vida de Deus. Quando temos um conhecimento verdadeiro de Deus, podemos ter fé verdadeira Nele e podemos obedecê-Lo e temê-Lo. Neste ponto, quando trabalhamos, pregamos e nos esforçamos pelo Senhor, seremos aprovados por Ele.

Pedro, um discípulo do Senhor Jesus, é um grande exemplo que devemos seguir. Pedro pôde abandonar tudo para seguir ao Senhor. Desde o início, ele trabalhou e se esforçou pelo Senhor com entusiasmo, depois pouco a pouco se concentrou em ouvir os ensinamentos do Senhor e praticou Suas palavras. Embora Pedro tenha feito coisas ignorantes e tenha sido fraco, quando negou ao Senhor três vezes, depois disso, ele pôde refletir verdadeiramente sobre si mesmo e ter arrependimento real. Ele abraçou a lição do fracasso e alcançava de modo constante o progresso e as mudanças em seu caráter de vida. Durante as experiências de Pedro, ele foi obtendo verdadeiro conhecimento do Senhor, e ao mesmo tempo, também teve entendimento verdadeiro das coisas que pertencem à carne e os pecados em si mesmo, e os odiava. Desde o início, Pedro fez boas ações externamente. Aos poucos ele foi mudando e começou a ter fé verdadeira e amor pelo Senhor, e viveu a realidade de obedecer a Deus. No final, ele pôde ser martirizado para compensar o amor de Deus e foi uma forte testemunha Dele, obtendo a promessa e as bênçãos divinas. Pedro foi marcado como exemplo para os descendentes. A partir das experiências de Pedro, podemos ver que Deus ama e abençoa aqueles que perseguem a verdade e a vida. Se pudermos perseguir a verdade e buscar conhecer a Deus assim como sermos testemunhas por Ele como Pedro, com certeza obteremos a promessa e as bênçãos Dele e nos tornaremos aquele que está segundo o coração de Deus, um cristão genuíno.

Por Li Xin

Leia mais: Pão Diário

Como trilhar a senda do temor a Deus?

A experiência de um cristão em um país estrangeiro

Seja um cristão verdadeiro – 4 coisas que cada cristão deve fazer