Inscreva-se

Menu

Ao praticar as palavras de Deus, eu me dou bem com meu marido em harmonia

Antes de ter a nossa própria família, cada um de nós sonhava em ter uma família onde marido e mulher se adoravam e se respeitavam mutualmente. Sonhar é lindo, mas a realidade é bem diferente. Nós éramos apenas mais um exemplo disso. Meu casamento não era tão feliz quanto eu queria que fosse. Meu marido e eu frequentemente discutíamos por causa de trivialidades dentro de casa ou por causa dos nossos jeitos diferentes de levar a vida. Nosso amor estava sendo afetado por razões triviais e pela vida. Assim como diz a música “É fácil se apaixonar, o difícil é lidar um com o outro”.

Antes de nos casarmos, eu estava confiante de que eu e o meu marido nos daríamos bem durante o casamento, por que nós nos adorávamos e nos compreendemos. Todavia, depois que nos casamos vários problemas começaram a surgir. Nós discutíamos sempre quando tínhamos diferentes opiniões em como lidar com as coisas. Por exemplo, às vezes quando eu estava limpando a casa, meu marido frequentemente achava algum defeito e dizia que eu não deveria fazer daquele jeito ou daquele outro jeito. No início, mesmo que me sentindo inquieta por dentro, exteriormente eu me mantinha em silêncio. Mas gradualmente, após muitas reclamações dele, comecei a retrucar: “Bom, se estou errada então qual é o jeito certo? Se você acha que não estou fazendo certo, então faça você mesmo!”. Essas palavras realmente acabavam com as suas reclamações, mas eram seguidas de um silêncio incômodo. Eu sabia que ele amuava, mas eu não conseguia deixar de lado o meu orgulho para conversar com ele. Como resultado, as discuções abriram lugar à guerra fria. Às vezes eu me irritava com ele também. Por exemplo, eu estava sempre insatisfeita com o modo como ele se vestia, e ficava ressentida que ele não se importava com higiêne pessoal e que não falava bem na frente dos outros. Tendo a cabeça já cheia das minhas reclamações, ele dizia: “Você é exageradamente limpinha e organizada; é seletiva demais.”. Enfim, tínhamos alguns atritos de vez enquando.

Eu estava confusa em relação a minha vida de casada, então comecei a pedir a parentes e a amigos que eram casados a muitos anos por conselhos em como lidar com conflitos familiares. Alguns me aconselharam a ser tolerante, pois “Comprometer-se fará com que um conflito seja mais fácil de resolver”. Outros me disseram para lutar pelo que eu acreditava, pois todo mundo discrimina o fraco e teme o forte. Eu tentei seguir esses conselhos, mas não obtive benefícios. Quando eu tentava me segurar e não discutir com ele, me sentia depressiva e com raiva, como se houvesse perdido a discussão; quando eu discutia com ele, ele gritava comigo. E assim nosso relacionamento começou a ficar cada vez mais tenso. Depois de várias tentativas, eu compreendi que nenhum conselho humano poderia realmente me ajudar a resolver meus conflitos familiares. Eu não podia deixar de pensar: Por que não nos damos bem? Quem poderia me ajudar a resolver meus problemas?

Mais tarde um amigo pregou o evangelho para mim e tive a sorte de me tornar uma Cristã. Através da palavra de Deus, eu pude compreender porque que as pessoas não conseguiam viver em harmonia uma com as outras. Li essa passagem de um livro: “Porque o homem aceitou as coisas más, arrogantes e maliciosas que vêm da natureza de Satanás, inevitavelmente há frequentes conflitos, discussões e incompatibilidade nas relações interpessoais do homem, que surgem como resultado natureza arrogante de Satanás”. Dessas palavras, compreendi: é porque eu e meu marido temos uma natureza arrogante que brigamos com tanta frequência. Quando somos dominados por essa natureza, nós estamos colocando em prática as regras de conduta do Diabo, como “Depreciar o fraco e temer o forte”, “olho por olho, dente por dente”, e assim por diante. Influenciados por essas regras, nossa humanidade se torna cada vez mais fora do normal. Assim que a novidade da vida de casados começa a acabar, nossos defeitos começam a ficar expostos, assim como o nosso caráter de arrogância. Regidos por esse caráter, estamos sempre insatisfeitos um com o outro em todos os aspectos e de todas as formas que o outro age; sempre pensamos que as nossas opiniões são as corretas e queremos que o outro faça tudo como queremos nós. E quando nenhum dos dois obedece ao outro, surgem ainda mais conflitos, e a convivência inicia a ser incômoda e depressiva. É que sem uma mudança na nossa natureza satânica, nós humanos viveríamos constantemente em dor, e até mesmo mulheres e maridos que amam-se, limitariam-se e fracassariam em se dar bem em harmonia depois de viverem juntos por um longo tempo.

Felizmente, hoje Deus está com nós para nos salvar e mudar nossas disposições satânicas, das quais a principal é a arrogância. Tendo achado a causa dos meus conflitos familiares e entendido que Deus odeia esses meus caracteres, resolvi deixar de ser arrogante. Mas eu sabia que não poderia fazer essa mudança sozinha, eu precisava da ajuda de Deus. Li outra passagem: “Se as pessoas vão entender a verdade e ver a verdade claramente, e se, além disso, vão entrar na verdade e colocá-la em prática, então elas precisam realmente treinar, realmente procurar e realmente ter fome e sede. Quando você tiver fome e sede e quando de fato cooperar com Deus, certamente o Espírito de Deus tocará você e operará dentro de você, o que lhe trará mais esclarecimento e lhe dará maior conhecimento da realidade, e será de maior ajuda para sua vida”.

Com essas palavras eu entendi que para eliminar o meu caráter à arrogância, eu deveria querer Deus em meu coração, rezando e confiando Nele mais, e eu deveria também praticar a verdade para então satisfazer a Sua vontade. Apenas dessa forma eu poderia obter o Espírito Santo. Depois que os trabalhos de Deus me ajudassem e me guiassem, não seria difícil mudar. Tendo compreendido a vontade de Deus e as Suas exigências, tentei praticar a verdade e acabar com os meus. Agora quando eu tinha divergências com o meu marido, eu rezava a Deus para me ajudar a não viver sob a minha arrogância ou a não confiar na minha irritação, mas sim ver a situação objetivamente. Se a opinião de meu marido estava certa, eu tentaria me calar e fazer como ele queria; se ele estivesse errado, eu não lhe daria um sermão, mas me acalmaria e me comunicaria com ele, explicando à ele a minha opinião para obter a sua compreensão. Gradualmente, não tinha mais brigas, mas sim risadas e alegria entre nós. No passado, quando eu pedia a ele para fazer alguma coisa, ele nem prestava atenção em mim, mesmo que eu pedisse à ele repetidas vezes. Depois da minha mudança, eu não pedia mais nada a ele, ao invés comecei a fazer tudo o que eu podia dentro e fora de casa sozinha. Assim, meu marido começou a me ajudar nos trabalhos de casa voluntariamente. Mais tarde, ele não apenas me ajudava, mas também pedia a minha opinião. Com o tempo o nosso relacionamento foi se tornando cada vez mais harmonioso, até que então finalmente era fácil para nós nos darmos bem. Eu não conseguia deixar de pensar: isso é maravilhoso! A verdade realmente pode mudar tudo. Desde que vivamos para Deus, confiando nas Suas palavras, nossa humanidade e racionalidade tornarão-se cada vez mais normais, assim como nossos relacionamentos. Apenas a verdade pode resolver todos os nossos problemas e dificuldades, mudar o nosso caráter corrupto que de outra forma não conseguiríamos mudar sozinhos, e nos guiar para vivermos uma nova vida com Deus, fazendo-nos cada vez mais tranquilos, confortáveis e livres.