Inscreva-se

Menu

Uma escolha difícil após o caso da minha esposa

Vinte anos atrás, minha esposa e eu estávamos há seis anos em um relacionamento de longa distância e finalmente decidimos subir ao altar. Depois que nos casamos, ela assumiu a responsabilidade da casa, não apenas cuidando dos meus pais idosos, mas toda vez que eu ficava doente ou chegava tarde em casa, ela demonstrava preocupação verdadeira e cuidado para comigo. Era muito reconfortante para mim. Comecei um negócio de frutos do mar para que eu pudesse dar a ela uma vida estável e, apesar de todos os dias serem realmente difíceis, levantar cedo e trabalhar até tarde da noite me fazia sentir que tudo valia a pena. Alguns anos depois, compramos uma casa e um carro, e nosso padrão de vida estava ficando cada vez melhor. Eu tratava o nosso casamento com delicadeza para que pudéssemos nos apegar à nossa vida doméstica feliz – nunca a prejudiquei de forma alguma. Nós discutíamos de vez em quando, mas todas as vezes eu era muito indulgente e paciente com ela. Num esforço para ser um bom marido, assumi todas as tarefas domésticas e ajudei o nosso filho com o dever de casa. Minha esposa e eu nos tornamos um casal amoroso que era admirado por todos os nossos amigos e parentes. Pensava comigo: não preciso de mais nada na vida. Enquanto pudermos sempre apoiar um ao outro, um lar feliz é o suficiente.

Há sete anos, minha esposa começou a ficar obcecada em ir a bares e a cantar. Imaginei que, enquanto estivesse feliz, ela poderia ir! No começo ela ia uma vez por semana e muitas vezes queria que eu fosse com ela. Senti que não era um cantor muito bom e não gostava muito da atmosfera caótica do local, então sempre recusava. Nos últimos três anos, ela começou a ir com mais frequência, cinco ou seis vezes por semana e, até mesmo, o vento e a chuva não a impediam. Ela voltava cada vez mais tarde. Comecei a notar que ela olhava constantemente para o celular e quando me aproximava, ela ficava em pânico. As vezes ela se escondia no banheiro para atender uma ligação no intuito de me evitar. As coisas ficaram realmente tensas entre nós e, com frequência, ela começava a brigar comigo por algumas coisas pequenas. Vendo como ela havia mudado, fiquei desconfiado de que ela não era mais leal a mim, no entanto pensava: nosso amor de vinte e tantos anos é sólido. Tenho certeza de que ela valoriza o que temos e dá importância a família. Ela não faria nada antiético. Algumas vezes ela voltava para casa com um homem e dizia que era apenas um amigo com quem ela cantava karaokê e, mesmo que eu tivesse muitas perguntas em meu coração, estava disposto a acreditar na minha esposa.

Então um dia, encontrei um cartão com duas marcas de mão de amor, cada uma com um nome assinado. Havia também um pequeno notebook com uma doce conversa entre minha esposa e outro homem. Vendo estas coisas nauseantes, ainda não conseguia acreditar que minha esposa tinha realmente me traído. Naquele momento senti apenas que o mundo estava girando e que estava prestes a parar de respirar. Senti muita dor e nem conseguia formar palavras. Apontei com uma mão trêmula para ela e perguntei: “Sempre fui sincero e dedicado a você. Por que você me trairia? Estamos casados há mais de vinte anos, de fato não lhe tratei bem o suficiente? De fato não dei o suficiente para esta família?”Embora ela não reconhecesse ainda a sua traição, pensando em tudo o que tinha acontecido, eu sabia que ela tinha saído do casamento.

Depois disso, a segui algumas vezes e falei com a esposa daquele homem. Ela disse que sabia sobre o relacionamento deles há um tempo. Tentando salvar a minha família, fui até a família da minha esposa e pedi a eles que a advertisse a parar e tentasse fazer com que aquele homem terminasse com ela, mas não importava o que eu fizesse, não conseguia recuperar o coração da minha esposa. Ela não se importava com os meus sentimentos e não tinha mais um limite moral. Ela nem sequer escondia isso de mim quando ia vê-lo. Eu estava com tanta raiva que não conseguia comer nem dormir. Todo dia era amargamente doloroso. Em poucos meses, perdi mais de vinte quilos. Fiquei abatido e envelheci muito. Aposentei-me cedo, pois não tinha mais coragem de administrar o negócio. A traição e o engano da minha esposa me transformaram em uma pessoa silenciosa. Calei-me em casa e não quis falar sobre o assunto com ninguém. Dor e ódio me assombravam como um fantasma. Tinha pensado em me vingar dele: se ele não me permitisse ter uma boa vida, eu não o permitiria ter uma boa vida também. No entanto, a razão me dizia que não deveria agir assim. O ódio e a razão lutavam como um cabo-de-guerra e eu estava extremamente infeliz. Nos dois anos seguintes, minha esposa mencionou a ideia do divórcio várias vezes e, todas as vezes nas quais mencionou isso, foi doloroso para mim. Pensava em nossos votos de casamento, que iríamos envelhecer juntos, de mãos dadas e me sentia ainda pior. Eu não queria me divorciar, apesar de nosso casamento ter se tornado uma concha vazia. Eu não queria que a nossa casa, uma vez feliz, se desmoronasse desse jeito.

Verdade e Vida: Uma escolha difícil após o caso da minha esposa

Havia uma chuva leve caindo na janela. Era uma noite tranquila e isso me fez sentir muito vazio e triste. Um dia, conheci uma cristã no Facebook e, enquanto conversávamos, soube que ela teve a mesma experiência que eu, mas, ao ler as palavras de Deus, aos poucos superou a dor e também experimentou o amor e a compaixão Dele pela humanidade. Ouvir sobre a sua experiência foi muito comovente, e pensei: há mesmo muitas pessoas que foram traídas por seus cônjuges, mas quantas delas conseguiram sair daquela neblina? Parece que encontrei uma linha de vida em potencial através da experiência daquela irmã.

Alguns dias depois, aquela irmã me disse que, para escapar do sofrimento, precisávamos entender a verdade para podermos ver a raiz do problema. Então ela compartilhou uma passagem das palavras de Deus comigo: “Essas tendências surgem uma após a outra, e todas elas carregam uma influência maligna que rebaixa continuamente a humanidade, fazendo com que as pessoas percam a consciência, a humanidade e a razão, enfraquecendo sua moral e sua qualidade de caráter cada vez mais, ao ponto que podemos até dizer que a maioria das pessoas de agora não tem integridade, nem humanidade e nem qualquer consciência e muito menos qualquer razão. […] Quando uma tendência nova se alastra pelo mundo, talvez apenas um pequeno número de pessoas esteja na vanguarda, agindo como formador de tendências. Elas começam fazendo alguma coisa nova, depois aceitando algum tipo de ideia ou algum tipo de perspectiva. A maioria das pessoas, contudo, será continuamente infectada, assimilada e atraída por esse tipo de tendência num estado de inconsciência, até que elas todas, sem se darem conta e involuntariamente, o aceitam e se tornam todas submersas nela e controladas por ela. Uma após a outra, tais tendências levam as pessoas, que não são de corpo e mente sãos, que não sabem o que é a verdade e que não conseguem diferenciar entre coisas positivas e negativas, a aceitá-las alegremente, bem como as visões de vida e os valores que vêm de Satanás. Elas aceitam o que Satanás lhes diz sobre como abordar a vida e o modo de viver que Satanás ‘concede’ a elas, e não têm nem a força, nem a habilidade, muito menos a consciência para resistir.

Ela compartilhou a comunhão comigo: “As palavras de Deus revelam a verdade das trevas e do mal do mundo, bem como a corrupção dos seres humanos por Satanás. Ele nos tenta e corrompe através de tendências malignas na sociedade, de modo que vivemos debaixo de seu poder, como se estivéssemos em um estado de embriaguez. Vivemos neste ambiente corrupto e maligno e nos tornamos cada vez mais depravados e corruptos. Algumas pessoas seguem essas tendências malignas e levam vidas de devassidão e não têm nenhum trabalho adequado. Suas famílias são destruídas, seus filhos vivem em um lar com apenas um dos pais e sofrem grandes danos. Algumas pessoas admiram o mal e perdem a si mesmas, traindo seu próprio caráter,sua dignidade e sua carne, vivendo na corrupção da libertinagem. Toda humanidade vive agora dentro do pecado e nossos padrões morais estão cada vez mais baixos. As pessoas relacionam-se sexualmente, divertindo-se com o pecado, tratando coisas como encontrar uma amante, ter um caso extra conjugal ou ainda uma transa de uma noite como símbolos de estar na moda e de capacidade. Todas elas admiram o mal e, seguindo as tendências maléficas do mundo, entregam-se à sua carne, sendo promíscuas. Elas desistiram de sua ética, do seu senso de vergonha, caráter e dignidade e perderam a essência de ser uma boa pessoa. Tornam-se cada vez mais imundas, corruptas e más no abismo do pecado e nem se envergonham de terem um caso. Tudo isso é o resultado das tendências sociais da corrupção das pessoas.”

Depois de ouvir a comunhão da minha irmã, entendi que o mundo que é sombrio e maligno e é porque seguimos as tendências malignas de Satanás. Pensei em como a minha esposa era uma boa esposa e uma boa mãe no início, como ela era diligente e responsável em casa, mas depois que ficou obcecada por bares e locais de karaokê, seguiu as tendências malignas do mundo, satisfez seus desejos carnais e não se importava mais com os sentimentos da casa ou do parceiro. De fato ela desenvolveu um relacionamento com outro homem e fez coisas anti-éticas. Finalmente entendi que as pessoas que traem seus casamentos e famílias são apenas os subprodutos corruptos das tendências da sociedade e elas também são vítimas. Depois de perceber tudo isso, meu ódio pela minha esposa e por aquele homem diminuiu um pouco.

Após isso, passei a assistia com frequência às reuniões com meus irmãos e irmãs, tinha comunhão nas palavras de Deus e cantava hinos. Pouco a pouco comecei a entender algumas verdades e um sorriso voltou ao meu rosto. Mais uma vez, desenvolvi a esperança na vida e no futuro. Agradeço a Deus, se não fosse por Ele durante o meu tempo mais doloroso, levando-me para a Sua casa, realmente não posso imaginar como teria continuado a viver.

O ano novo chinês surgiu em um piscar de olhos e as casas em todos os lugares estavam repletas de uma atmosfera comemorativa, mas nem tudo estava calmo em minha casa. Minha esposa mais uma vez falou sobre o divórcio e começou uma grande discussão comigo. Em um ataque de raiva, dei seguimento ao divórcio. No entanto, com os papéis do divórcio nas mãos, saindo do Tribunal de Justiça, senti uma perda em relação a minha vida futura. Minha família costumava ser minha única fonte de motivação, mas agora ela acabou. Como conseguiria encarar a vida daqui para frente? Perdido na dor, compartilhei minhas feridas e sofrimentos depois do divórcio com aquela irmã, que leu uma passagem das palavras de Deus para mim: “Influências perniciosas que milhares de anos de ‘elevado espírito de nacionalismo’ deixaram no fundo do coração humano, bem como o pensamento feudal pelo qual as pessoas estão presas e acorrentadas, sem um pingo de liberdade, sem vontade de aspirar ou perseverar, sem desejo de progredir, ao contrário, permanecendo passivas e regressivas, entrincheiradas numa mentalidade de escravo, e assim por diante — esses fatores objetivos concederam um molde indelevelmente sujo e feio ao ponto de vista ideológico, aos ideais, à moralidade e ao caráter da humanidade. Ao que parece, os seres humanos estão vivendo em um mundo tenebroso de terrorismo, o qual nenhum deles busca transcender, e nenhum deles pensa em mudar para um mundo ideal; em vez disso, contentam-se com sua sorte na vida, em passar seus dias tendo e criando filhos, esforçando-se, suando, cuidando de suas tarefas, sonhando com uma família confortável e feliz, com afeto conjugal, com filhos amorosos, com alegria em seus derradeiros anos enquanto vivem pacificamente sua vida. Por dezenas, milhares, dezenas de milhares de anos até o presente momento, as pessoas têm desperdiçado seu tempo dessa maneira, sem que ninguém crie uma vida perfeita, todas com a intenção apenas de massacrar-se mutuamente neste mundo sombrio, na corrida pela fama e fortuna, e de fazer intrigas umas contra as outras. Quem já procurou obter a vontade de Deus? Alguém já prestou atenção à obra de Deus?

Lendo isto, encontrei a raiz do meu sofrimento. Eu não vivia em tanta dor porque procurava uma família feliz e um bom casamento? Eu tinha me esgotado por completo por causa de uma casa maravilhosa e um casamento feliz, mas o que recebi no final foi engano e traição da minha esposa. Lembrei-me de todos os anos nos quais trabalhei duro sem reclamar, para que ela tivesse uma vida pacífica e harmoniosa. Acordava cedo e trabalhava noite adentro, labutando pela família. Pelo bem da nossa família, nunca permiti que ela se sentisse injustiçada e, mesmo quando discutíamos, eu era paciente e perdoador com ela. Depois que descobri sua infidelidade, deixei de lado a minha dignidade como homem e a perdoei para que ela mudasse de idéia. Apegando-me ao nosso lar desfeito, larguei minha dignidade e procurei aquele homem para fazê-lo romper com a minha esposa e tentei de tudo para recuperá-la. Quando ela traiu totalmente o lar, tive dores e não queria mais viver, mesmo pensando em maneiras de me vingar daquele homem, vivendo todos os dias dentro do meu ódio e perdendo todo o desejo de trabalhar. Fui torturado a ponto de não valer a pena viver. Todo esse mal não foi feito por Satanás? Pensei em como, depois de ser corrompido por Satanás, não há amor verdadeiro entre as pessoas. Há muito poucos lares e casamentos felizes. Ou o marido trai a sua esposa ou a esposa trai o seu marido, ou eles são companheiros estranhos de cama, ou eles estão constantemente discutindo por causa de seus interesses pessoais. A chamada bela família e casamento feliz são tristes e vazios. As palavras de Deus desfizeram os nós no meu coração. É verdade: trabalhar tanto para buscar isso tudo não tem sentido e é vazio. Não é uma vida com significado. Somente ter fé e seguir a Deus é significativo.

Em seguida, li outra passagem das palavras de Deus: “Você é um ser criado — você deveria, é claro, adorar Deus e buscar uma vida com significado. Se você não adorar a Deus, mas viver dentro de sua carne imunda, então você não é só um animal com vestes humanas? Já que você é um ser humano, você deveria se despender por Deus e aguentar todo o sofrimento! Você deveria aceitar o pequeno sofrimento a que é submetido hoje com alegria e certeza e viver uma vida significativa, como Jó e Pedro. […] Vocês são pessoas que buscam o caminho correto, aquelas que buscam melhoria. Vocês são as pessoas que se levantam na nação do grande dragão vermelho, aqueles a quem Deus chama de justos. Não é essa a vida mais significativa?” As palavras de Deus me proporcionaram um caminho a seguir. Somente viver para Ele e cumprir a Sua vontade é uma vida valiosa e significativa. Na minha vida mundana, enchia-me dos danos de Satanás. Foi a graça de Deus que me deu a sorte de entrar na Sua casa. Hoje desfrutei tanto do amor de Deus e devo buscar a verdade, dedicar-me a Ele e cumprir o dever de uma criatura. Deveria viver para buscar o Seu amor, abandonar totalmente a vida vazia e depravada da carne e viver uma vida com significado e valor verdadeiros.

Quando o sol apareceu lentamente acima do horizonte e ouvi o som alegre das canções dos pássaros do lado de fora, ouvi um hino de experiência de vida: “O amor de Deus nos aproxima.” Fiquei realmente comovido. É verdade, somente tendo Deus é que se tem amor e apenas através do amor existe a família. Quando senti mais dor e desespero, foi Deus quem me tirou do meu sofrimento pelo fracasso do meu casamento. Agora encontrei um porto feliz de verdade para a minha alma e um verdadeiro lar. Graças ao Deus Todo-Poderoso. Amém!